09.04.21

Pix: Entenda o que é, como funciona e como usar

Saiba tudo sobre o PIX, esse sistema instantâneo de pagamento e transferência, fácil de usar, prático e cheio de vantagens

O que é Pix?

Há pouco mais de um ano, o Banco Central anunciava o lançamento do Pix, alinhado com os tempos atuais, acompanhando o processo de digitalização global. E em novembro de 2020, o sistema passou a funcionar com a promessa de digitalizar o dinheiro, facilitando a realização de transações financeiras virtuais e sem custos para pessoas físicas e muito menos custosas para as contas de pessoas jurídicas. E olha que estamos falando de todo tipo: de uma transferência sua para um colega ou prestador de serviço a uma transação importante entre empresas.

O sistema está disponível para as movimentações financeiras instantâneas 24 horas por dia, independentemente do dia da semana ou feriado. Ou seja, é dinheiro na conta na hora, a qualquer momento.  

Além das transferências que você pode fazer sem precisar incluir dados do beneficiário – basta usar o celular ou CPF dele (veja mais abaixo) –, o Pix ainda permite realizar pagamentos em qualquer estabelecimento comercial em tempo real, além de pagamentos de contas e impostos.

Celular pagando com pix Celular pagando com pix

A novidade é recente, mas o engajamento da população já é considerável. Segundo dados do Banco Central, em 28 de janeiro já havia sido registrado um total de mais de 275 milhões de transações pelo sistema Pix.  

Para te ajudar a entender melhor, conhecer as vantagens mais a fundo e ainda outras formas de pagamento mais modernas, preparamos um guia completinho sobre o Pix. Confira aqui!

Como usar o Pix?

Para começar, cadastre-se. Para tanto, é preciso ter uma conta em alguma instituição financeira – pode ser banco, banco digital ou plataforma de pagamento. Você só precisará entrar no canal virtual dessa instituição, pelo site ou aplicativo no computador ou celular, encontrar a página Pix lá dentro e solicitar o cadastramento. 

Em seguida, você deve escolher a sua chave Pix, que é simplesmente uma identificação do usuário. Essa chave pode ser o CPF/CNPJ, o número do celular, o e-mail ou um código aleatório de números e letras gerado pelo sistema. Pronto!

O próprio banco vai fazer o contato com o Banco Central e finalizar o cadastro para liberar o uso. Depois disso, suas transações financeiras nunca mais serão as mesmas.

Como funciona o Pix?

Quando alguém for fazer uma transferência para você, basta dizer a ela qual é a sua chave. Assim que a pessoa digitá-la, os seus dados bancários aparecerão automaticamente e ela fará a transação em um clique.

O mesmo caminho vale para quando você precisar fazer uma movimentação para alguém. Abrindo a página Pix no seu banco, você preenche a chave da pessoa ou empresa e já recebe os dados para enviar o dinheiro. Depois, é só colocar o valor, confirmar e a movimentação se dá de forma instantânea.

Tudo isso simplifica o processo e ainda garante que o valor seja creditado sem erro. Não é preciso informar número do banco, agência, conta, CPF, nome completo e todos aqueles dados como fazemos com um DOC ou TED. Aliás, melhor do que não precisar de todos esses dados como precisamos para um DOC ou TED, não é necessário pagar o valor que se paga para uma transferência. Acha que isso, por si só, já é bom? Então olha essa outra informação relevante: não há limite de valores mínimo nem máximo para as transações.

Posso ter mais de chave no Pix?

Cada pessoa física consegue ter até cinco chaves por conta em seu nome. Já para pessoas jurídicas, esse número aumenta muito: 20 chaves por titularidade.

Mas, atenção: para não bugar o sistema, você não pode repetir a mesma chave em contas diferentes. Isso porque cada chave leva ao reconhecimento de um endereço para o envio do dinheiro. Então, para cada conta, crie uma chave diferente.

Como funciona o QR Code no Pix?

O QR Code é uma das melhores formas para fazer compras ou pagar contas. Na prática, é igualmente simples. Basta entrar na aba do Pix, selecionar a opção QR Code e escanear o código com a câmera do celular. O código pode ser gerado para aquela transação específica ou para diversas transações.

 

Celular pagando com pix Celular pagando com pix

Onde posso usar o pagamento com Pix?

 

A Vivo incluiu esse meio de pagamento para recargas digitais em seus canais. Pelo aplicativo Meu Vivo ou pelo site, é possível fazer a transação do seu Vivo Pré e você ainda recebe um bônus de 10 GB de internet 4G na primeira recarga via Pix.

Para recarregar de forma rápida e conquistar o benefício, abra o site www.recarga.vivo.com.br ou o aplicativo Meu Vivo. Escolha o valor desejado e escolha o Pix como pagamento. 

Será gerado um código PIX que você deverá efetuar o pagamento no seu app de pagamento preferido. Prontinho, você ganha seu bônus de 10GB de internet válidos por sete dias. 

 

Conheça outras tecnologias para efetuar as transações

Além do Pix, que é um dos sistemas mais práticos e usados atualmente, há mais tecnologias que facilitam a vida, evitam o contato físico e o manejo de cartões e cédulas. Listamos aqui as mais usadas e as que devem ganhar ainda mais destaque nos próximos anos.

NFC (Near Field Communication)

Trata-se do pagamento por aproximação, com troca de informações entre dispositivos sem fio. O cliente aproxima o cartão ou um dispositivo com a tecnologia e não precisa digitar senha - até um valor determinado pelo banco - e nem ter qualquer contato direto com os equipamentos de outra pessoa ou loja. 

Nem precisa dizer que, durante a pandemia, foi uma solução que cresceu muito, já que as pessoas estão evitando contato físico por causa do novo coronavírus.

QR CODE

Os códigos escaneáveis são práticos e podem ser acessados até mesmo por meio das telas da TV. Assim, surgem novas possibilidades para propagandas e anúncios das empresas, alcançando um público enorme e incentivando as compras virtuais. Além disso, eles também podem estar nos pontos de venda físicos, simplificando o pagamento e evitando o contato e o uso de cartões.

Carteiras digitais

Os chamados e-wallets mais famosos são Google Pay e Apple Pay. Com eles, você consegue fazer suas compras online em diferentes sites com segurança, sem cadastros, usando apenas essa opção.

Reconhecimento facial e biometria

O reconhecimento facial é um tipo seguro de verificação do usuário durante a transação por meio de dispositivo móvel. O processo é simples: depois de um registro, o usuário faz o reconhecimento pela câmera do celular e o pagamento pode ser efetuado em segundos.

A biometria também funciona da mesma forma, mas com a inserção da digital para o reconhecimento. Os dois mecanismos são apontados como os sistemas que mais deverão ser usados nos próximos anos.

Essa transformação digital tem dado muito certo por aqui já que, segundo IBGE, pelo menos dois terços da população brasileira têm conexão com a internet.

Viu só como a tecnologia está cada vez mais presente nas nossas vidas, facilitando todo tipo de transação, com mais segurança e rapidez? E tudo indica que elas serão o caminho para a digitalização do dinheiro. Você concorda? Divide com a gente!