Todo mundo gosta de comprar com bons descontos, não é mesmo? Por isso, de uns anos para cá, a Black Friday se tornou um grande sucesso. No entanto, para aproveitar esse período de ofertas, é preciso tomar vários cuidados para não cair em fraudes e conseguir aproveitar a data com a garantia de compras seguras — e nenhuma dor de cabeça para depois.

Segundo estudo da empresa de segurança Clear Sale, divulgado pelo site Infomoney, em 2021, o Brasil registrou um aumento de 131,74% nas tentativas de fraude no e-commerce em relação ao ano anterior, durante o período da Black Friday.

Um dos golpes mais aplicados é o phishing, que é quando os cibercriminosos utilizam sites falsos com visual e linguagem similares aos originais para “pescar” os dados pessoais e de pagamento dos clientes. 

Diante desse cenário, a primeira pergunta que as pessoas fazem é: como posso, então, fazer uma compra segura? Se você tem essa dúvida, junte-se a nós e veja, neste artigo, como aproveitar a Black Friday online com segurança.

Boa leitura! 

Ilustração 3D de um cadeado, um escudo, uma chave e uma tela de login. Ilustração 3D de um cadeado, um escudo, uma chave e uma tela de login.

O que é uma compra segura?

Sabe quando você entra em uma loja no centro da cidade e fica de olho para ter a certeza de que ninguém naquele local vai furtar sua bolsa ou carteira? Pois bem, a compra segura online é parecida com isso. 

Isso significa que ela deve contar com vários padrões para garantir que você esteja em um site confiável e não seja atraído por situações fraudulentas. Portanto, é a segurança de cadastrar seus dados pessoais e financeiros para realizar alguma compra online, sem se preocupar que sejam usadas de maneira ilícita. 

Por exemplo, no link da Loja da Vivo, você percebe que tem um cadeado ao lado da URL do site. Esse é o primeiro indicativo de que você está navegando em um site seguro. 

Além disso, a página segura sempre conta com o padrão “https”, que é um certificado de segurança que atesta a conexão segura.

Como eu vejo que o site é seguro?

Basicamente, são três ações para verificar se um site é ou não seguro. Olha só: 

  • Cadeado ao lado do link: mostra que as informações do seu computador para o site são feitas de maneira segura. Ou seja, só você sabe o que está fazendo naquele momento, sem chance de alguém interceptar seus dados;
  • HTTPS: antes do “www” de um link, procure o HTTP. Se ele tiver um S no final, isso quer dizer que ele é mais seguro, já que conta com o Protocolo de Transferência de Hipertexto Seguro. É mais uma maneira de garantir que o site é verdadeiro;
  • Confira canais oficiais: você está na dúvida de que o site é verdadeiro? Procure nas redes sociais ou demais canais oficiais qual é o link correto da loja em que vai fazer compras.

Onde pesquisar se o site é confiável?

Vai acessar um site e está com dúvidas sobre a confiabilidade dele? Então, o primeiro passo é procurar a marca nas redes sociais

Outro caminho seguro, principalmente para lojas ou e-commerce que você nunca ouviu falar, é procurar no site Reclame Aqui. Lá, é possível encontrar relatos sobre a experiência de outros consumidores, verificar os problemas mais recorrentes e atestar se o site é confiável ou não. 

Olhar os sites que fazem monitoramento de preço é outra dica. Até porque esses canais costumam trazer comparativos apenas de links confiáveis. Como exemplo, podemos citar o Buscapé e Zoom.

Ao acessá-los, basta colocar o produto desejado e acompanhar o valor entre as diversas lojas. Além disso, dá para acessar uma linha de tempo com os maiores e menores preços do item ao longo dos meses, semanas e dias. Demais, né?

Ilustração de um cadeado azul. Ilustração de um cadeado azul.

É seguro comprar pela internet?

Comprar pela internet tem suas vantagens, mas também seus riscos. E isso não se limita apenas ao ambiente digital, já que todos estão sujeitos a sofrer algum tipo golpe nas lojas físicas, como propaganda enganosa, venda casada, clonagem de cartão etc.

Apesar dos riscos, é possível fazer uma compra segura nas plataformas online. Para isso, basta se atentar às dicas de segurança apresentadas neste texto, para que você não seja vítima de alguma fraude aplicada pelos cibercriminosos.

Diversos sites de compra investem diariamente em soluções de segurança, a fim de resguardar os dados de seus usuários. Com isso, o cliente se sente mais seguro na hora de escolher seus produtos e cadastrar suas informações pessoais e do cartão de crédito.

Como fazer uma compra segura?

Acompanhe este passo a passo e aumente as chances de não cair em nenhuma cilada durante suas compras online:

Imagem de um homem digitando o número do cartão de crédito no celular. Imagem de um homem digitando o número do cartão de crédito no celular.

7 dicas de segurança para comprar pela internet

1. Use cartão virtual

A maioria dos bancos conta com cartão de crédito virtual. Esse tipo de cartão é ideal para compras online porque ele pode expirar em 48 horas. 

Ou seja, você gera um número de cartão aleatório, faz a compra segura, evita que alguém possa pegar as suas informações futuramente e mantém o seu cartão de crédito protegido de fraudes. Além disso, há operadoras que só realizam uma única compra com cada cartão virtual gerado. Isso impede que, mesmo que o seu cartão virtual seja descoberto, alguém consiga acessá-lo e realizar muitas compras com ele.

 

2. Desconfie de valores muito baixos

Sabe o ditado de que “o santo desconfia quando a esmola é grande”? Pois é, o mesmo vale para compras online. Além de ser preciso ficar de olho se a loja que vende o produto é conhecida, garanta que o preço dele não é completamente discrepante. 

Se um produto que custa normalmente R$ 100 estiver custando R$ 10, é provável que seja uma fraude.

3. A pressa é inimiga da perfeição

Seguindo a dica anterior, tome cuidado com sites que oferecem promoções relâmpago que acabam em segundos. Geralmente, essa é uma maneira de fazer com que o consumidor compre sem pensar e acabe caindo em golpes. 

Sem tempo de ver se o site é verídico, você pode ir pelo preço super em conta e cair, sem querer, em um esquema fraudulento. Portanto, use o seu tempo sabiamente.

4. Compre em lojas conhecidas

Por mais que um ótimo desconto seja relevante, às vezes, a conveniência de comprar em uma loja conhecida pode evitar dores de cabeça. Seja pelo serviço de pós-venda, arrependimento após uma compra ou até por já conhecer a qualidade do local. 

Pelo sim, pelo não, antes de realizar a compra em um site pouco conhecido, dê uma olhada nas lojas que você já conhece e confia, antes de pular para um comércio online diferente.

Imagem de uma mulher frustrada em frente ao notebook segurando uma conta. Imagem de uma mulher frustrada em frente ao notebook segurando uma conta.

5. Verifique a autenticidade do site

Cuidado com promoções e links recebidos por e-mail ou SMS que te redirecionam para a loja. Ainda mais se você nunca comprou ou se cadastrou naquele comércio. 

Veja se letras como “i” e “o” não foram substituídas por “1” ou “0”. Também, veja se não está faltando uma letra no endereço. 

Na dúvida, não clique! Até porque os cibercriminosos usam muito esse tipo de tática. Acesse um canal oficial da loja e, de lá, entre no link, ok?

6. Cuidado com o boleto

Além de promoções, alguns cibercriminosos encaminham, por e-mail ou SMS, um boleto como uma condicionante para acessar um produto com um preço muito baixo ou, até mesmo, alegando que se trata de uma dívida.

Nunca clique nesse tipo de link. Se receber algo assim, desconfie. Nesses casos, antes de fazer qualquer pagamento ou passar qualquer dado, entre em contato com os canais de atendimento oficiais do estabelecimento para confirmar a ação.

7. Atenção à política de privacidade

A maioria dos sites exige que os usuários leiam e aceitem a política de privacidade da empresa antes de acessar os conteúdos, contratar serviços ou comprar produtos. E sabemos que quase ninguém lê os termos antes de declarar que concorda, né?

Porém, de fato é necessário ter atenção a esse ponto, principalmente para ajudar a garantir uma compra segura. No documento, estarão todas as informações relacionadas à segurança dos seus dados e, caso você não leia, correrá o risco de autorizar a empresa a utilizá-los da maneira que desejar, inclusive vendendo para outras corporações.

Como fazer uma compra segura na Black Friday?

Imagem de uma mulher fazendo compras na Black Friday pelo notebook. Imagem de uma mulher fazendo compras na Black Friday pelo notebook.

Com toda a comoção que a Black Friday causa, é comum que grande parte das pessoas não utilize todas as medidas de segurança para não cair em golpes, seja por falta de conhecimento ou até mesmo pelo deslumbre e pressa de comprar o produto na promoção.

Porém, para fazer uma compra segura durante o evento, existem alguns métodos simples, que já ajudam na hora de se proteger, como:

  • Não acessar links suspeitos e checar a autenticidade do site;
  • Comprar em lojas nas quais você confia ou que pessoas próximas já compraram e não tiveram problemas;
  • Conferir o histórico de preços dos produtos desejados;
  • Dar preferência ao pagamento pelo cartão virtual;
  • Checar os canais de atendimento do site e até mesmo entrar em contato para confirmar sua confiabilidade;
  • Não utilizar redes de internet públicas para realizar as compras;
  • Não compartilhar ou expor a senha do seu cartão ou outras informações pessoais;
  • Verificar a reputação da loja no site Reclame Aqui;
  • Guardar todos os comprovantes, números de protocolo e e-mails trocados com a loja;
  • Manter os antivírus dos seus dispositivos sempre atualizados;
  • Fugir de valores muito abaixo dos aplicados no mercado.

Principais golpes da Black Friday

A cada ano, novos golpes aparecem no mercado para enganar o consumidor. E muitos deles são amplamente utilizados durante a Black Friday, devido a falta de atenção do consumidor com a ansiedade gerada pelo momento.

A seguir, confira quais são as fraudes mais comuns que surgem nessa época:

Site falso

Os sites falsos são criados pelos cibercriminosos com a intenção de fazer as pessoas clicarem nele, achando que estão acessando uma loja oficial. Geralmente, os bandidos usam marcas de renome para tentar passar mais credibilidade ao consumidor e oferecem produtos com valores abaixo do aplicado no mercado, seduzindo o comprador.

E, realmente, às vezes fica fácil se confundir, tendo em vista que as provas de que aquele site é falso chegam a ser imperceptíveis em alguns casos. A simples substituição de uma letra por um número no link, por exemplo, já pode causar confusão no consumidor.

Preços pela “metade do dobro”

Esse também é um golpe já bastante conhecido por quem faz compras online. Inclusive, esse é um dos motivos do evento, infelizmente, receber a alcunha de “Black Fraude” aqui no Brasil.

Poucas semanas ou meses antes do evento, algumas lojas vão, aos poucos, aumentando o valor de seus produtos. Quando chega a esperada data, elas reduzem o valor pela metade e anunciam como se estivessem em super promoção.

Isso induz o consumidor a comprar em sua loja, pagando o mesmo valor, ou até acima do aplicado em sites sérios. Portanto, uma boa dica é utilizar ferramentas que mostram o histórico de valor do produto naquela loja, facilitando para que você não pague a “metade do dobro”.

Venda casada

A venda casada é crime, de acordo com a Lei 8.078 (Art. 39); no entanto, muitas lojas ainda utilizam dessa prática para enganar os consumidores, e não é diferente na Black Friday.

Nesses casos, os sites condicionam a venda de determinado produto a outros itens, para que o cliente consiga comprar pelo preço anunciado. Eles colocam o valor do segundo produto acima do aplicado no mercado, "compensando" o preço do que está em promoção.

Caso você desconfie que está sendo vítima desse golpe, entre em contato com o PROCON da sua região e denuncie!

Phishing

O phishing é uma prática na qual os cibercriminosos enviam links suspeitos para os consumidores, geralmente com promoções imperdíveis de produtos que eles estejam procurando.

O problema é que esses links, na verdade, são falsos. Ao acessá-lo, os criminosos conseguem roubar seus dados por meio de preenchimento de formulários ou até mesmo instalando algum malware em seu dispositivo.

Esses links podem chegar por e-mail, dentro de algum pop-up falso em sites não confiáveis e, ultimamente, também têm sido disparados em aplicativos mensageiros, como WhatsApp, Telegram, SMS (conhecido como smishing), entre outros.

Valor final diferente do anunciado

Já entrou em algum site e se deparou com um relógio em contagem regressiva para o fim da promoção de determinado item? É preciso ter muito cuidado com isso!

Muitos clientes, com o senso de urgência ativado, acabam colocando o item no carrinho e finalizando a compra antes que o tempo acabe, para garantir as boas condições.

Porém, muitos esquecem de conferir o valor final do produto, fazendo com que algumas lojas mal-intencionadas apliquem o preço original do item e o cliente acaba pagando mais do que imaginou.

Nessas horas, o melhor a fazer é manter a calma, comparar os preços e as condições da compra com aquele valor e não finalizá-la caso esteja diferente do que foi anunciado pelo site.

Realizando compras seguras

Agora que você já sabe que é possível fazer uma compra segura na Black Friday, diminuindo o risco de golpes, basta seguir nossas dicas, pegar aquele dinheirinho que você separou durante o ano e aproveitar as promoções da melhor maneira possível!

Até a próxima!

Leia também: