Você acha que já sabe tudo sobre o uso seguro da internet, mas quem é mal-intencionado está sempre em busca de novas brechas de segurança. Por isso, é preciso manter-se sempre atualizado.

Abaixo, você confere alguns cuidados essenciais para garantir a sua segurança na internet e navegar sem problemas. Vamos lá?

O que é segurança na internet?

A segurança na internet é um conjunto de cuidados que uma pessoa deve ter, habitualmente, para proteger os dados que possui em diferentes sistemas.

É preciso ficar ligado, porque o uso seguro da internet tem impactado diversas pessoas ao redor do mundo, principalmente aquelas que já foram vítimas de golpes online. 

E não é porque você caiu em um golpe uma vez que não vai cair de novo. Por isso, é preciso sempre tomar cuidado para evitar ciberataques. É necessário estar atualizado, pois esses criminosos estão sempre procurando novas brechas e novos truques.

Imagem de uma pessoa de capuz usando um notebook.

Como funciona a segurança digital?

A segurança digital pode ser buscada de diversas formas, mas o ponto principal é a proteção de informações e de dispositivos físicos, tais como:

  • Computadores;

  • Tablets;

  • Smartphones;

  • Entre outros produtos tecnológicos.

Por que a segurança da rede é importante?

A internet foi criada para ser uma forma mais eficiente de encontrar informações. Com o passar dos anos, os computadores viraram verdadeiras redes para encontrar pessoas, compartilhar a sua vida, trabalhar e descobrir coisas novas.

O que as pessoas não consideram é que esse mesmo espaço inteligente e divertido também é terreno para um mercado paralelo de cibercriminosos dispostos a roubar dados e  identidades em troca de dinheiro, além de atacar sistemas através de malwares.

O que fazer para ter um uso seguro da internet?

Se você é uma pessoa que tem vários dispositivos tecnológicos e inteligentes em casa por causa do seu emprego ou da sua empresa, a melhor opção é ter um profissional de segurança da internet para analisar as rotinas internas adotadas no uso das redes e verificar o que pode ser feito para prevenir a estrutura de ataques ou golpes.

Por outro lado, ainda que a figura do profissional em segurança da internet seja extremamente importante, a atuação dele por si só não descarta a necessidade de adoção de medidas preventivas por cada um que utiliza os equipamentos.

Confira algumas dicas de como se prevenir no ambiente digital

Ilustração de três escudos com cadeados sobre um fundo azul.

Manter o antivírus atualizado

O bom e velho antivírus é uma das formas mais clássicas de se manter seguro na internet. Para isso, não basta apenas instalar o antivírus, mas ficar de olho para a data de renovação do pacote adquirido.

Também é preciso estar atento ao tipo de antivírus instalado em sua máquina, pois alguns oferecem serviços de proteção mais completos do que outros.

Optar por senhas fortes

Ao contrário do que a maioria pensa, nem todas as senhas longas são necessariamente seguras. Não adianta inserir uma senha longa se ela for o nome da sua mãe ou do seu pai, por exemplo.

A senha ideal é aquela que combina palavras-chave fáceis de memorizar, um número e um caractere especial (exclamação, arroba, interrogação, jogo da velha, dentre outros). Quanto mais elementos diferentes a senha tiver, mais segura ela é.

Não repetir senhas

É muito comum que as pessoas cadastrem a mesma senha em diferentes plataformas para não correrem o risco de esquecê-la. 

Contudo, não adianta escolher uma senha forte e utilizá-la em todas as plataformas possíveis, pois basta o sistema de uma delas sofrer invasão de algum cibercriminoso e todas as outras contas estarão igualmente comprometidas.

Trocar as senhas periodicamente

Agora que você aprendeu a montar uma senha forte, é importante trocá-la de tempos em tempos. 

Isso porque se um criminoso tiver a informação de alguma palavra-chave, ele tentará roubar suas informações. 

Assim, a troca periódica de senhas evita a ocorrência de acessos indesejados, deixando sua vida online mais segura.

Ilustração de uma tela de login sobre imagem de um homem usando um notebook.

Utilizar um gerenciador de senhas

Para quem possui uma maior dificuldade em memorizar as palavras-chave, vale buscar um gerenciador de senhas, isto é, um aplicativo capaz de reunir todos os dados de credenciamento do usuário em um só local.

Para escolher o melhor programa, é ideal fazer uma pesquisa de vazamento de dados do gerenciador anteriormente ao download. Assim fica mais fácil saber se aquele desenvolvedor é mesmo confiável ou não.

As melhores opções de gerenciadores são aqueles que trazem uma senha universal para acesso ao conteúdo do programa/aplicativo protegida por criptografia.

Não gravar senhas em computadores ou redes compartilhadas

Se você divide o computador com alguém ou usa um PC em uma rede pública, não salve as suas senhas no dispositivo, porque basta um vírus para que suas informações fiquem vulneráveis.

Isso é ainda mais sério se você usa em casa um computador corporativo, já que ele tem acesso direto às informações do seu trabalho. 

Caso você esteja compartilhando o computador do trabalho com mais pessoas por causa da pandemia, o cuidado tem que ser um milhão de vezes maior. Isso porque o compartilhamento aumenta, significativamente, a vulnerabilidade do equipamento ante ataques cibernéticos.

O mesmo ocorre em redes de internet sem fio empresariais ou públicas. Não é aconselhável fornecer dados bancários ou utilizar o internet banking quando se está conectado a uma rede utilizada por muitas pessoas.

Imagem de uma tela de login projetada fora da tela de um notebook.

Desativar contas em sites que não utiliza mais

Para realizar compras na internet os sites solicitam ao usuário diversas informações pessoais: 

  • Número do CPF;

  • Nome completo;

  • Endereço residencial;

  • Número de cartão de crédito;

  • Até mesmo cópia do RG. 

Na maioria das vezes, essas informações são fornecidas para uma única compra. Você as fornece, faz a compra, mas não retorna nunca mais à plataforma e acaba esquecendo que possui informações vinculadas àquela base de dados.

Por isso, é de extrema importância relembrar todos os cadastros já feitos no ambiente virtual e desativar permanentemente as contas que não utiliza com frequência. 

Um dos jeitos mais simples de começar é verificar a caixa de entrada do e-mail mais utilizado e selecionar quais empresas você ainda tem interesse em manter cadastro e quais oferecem produtos que já não fazem mais sentido.

Identificar e não abrir e-mails suspeitos

A maneira mais comum de invasão de dispositivos para conseguir informações financeiras é através de links enviados por e-mail. Por isso, se você recebeu algum boleto supostamente em atraso, é essencial verificar com a empresa se aquela cobrança realmente existe antes de fazer qualquer pagamento.

O mesmo vale para cobranças enviadas por e-mail em nome de bancos. Não é incomum que os cibercriminosos consigam informações bancárias básicas como o seu nome completo, a instituição financeira que está vinculado e o número da sua conta.

A dica número um para identificar se um e-mail é falso ou não é verificar o endereço utilizado pelo remetente. Muitos não têm relação com o nome da empresa ou da instituição financeira. 

Nos casos em que o endereço for muito parecido com o utilizado em e-mails corporativos, é sempre bom checar a veracidade da mensagem via canais de atendimento oficiais antes de abrir qualquer link ou enviar alguma resposta.

Preferir softwares originais

As licenças de softwares originais tendem a ser caras, mas o preço que se paga quando se é vítima de um ataque na internet é muito maior. Para evitar esse tipo de ocorrência, é importante optar por softwares originais, uma vez que os piratas geralmente são desenvolvidos por fontes desconhecidas e são mais vulneráveis a diferentes vírus.

Viu como dá para curtir e fazer o uso seguro da internet? Fique sempre atento e aproveite essas dicas.

Até breve!

LEIA TAMBÉM: