Você já ouviu falar em malwares? Eles são os grandes inimigos da vida conectada. Trata-se de um software malicioso desenvolvido por criminosos, enviado a usuários de internet por diferentes canais como e-mails, sites, download de aplicativos, trocas de mensagens, entre outros. 

Eles podem ter diferentes formas, entre elas vírus, cavalos de troia e spyware, sendo capazes de se infiltrar em qualquer dispositivo (celulares, tablets e computadores), sem pedir permissão. Os danos podem ser inúmeros, desde roubo de informações a paralisações de sistemas inteiros, prejudicando empresas e até mesmo instituições governamentais.

Por isso, é fundamental redobrar a atenção enquanto se navega na internet. Qualquer atitude suspeita deve ser, sim, questionada. Para se ter uma ideia, devido ao aumento de pessoas trabalhando em casa, fora de ambientes protegidos, a incidência de ataques de phishing a computadores cresceu 667% no início da pandemia.

O dado foi observado em abril de 2020 pela Capgemini Institute Research. Daí a importância de conhecer mais sobre o tema para se preparar caso esteja diante de alguma ameaça virtual.

Malware e vírus, entenda as diferenças

Mas malware é um vírus? Está aqui uma pergunta bastante comum quando abordamos este assunto. Todos os vírus são, sim, malwares. No entanto, nem todo malware é um vírus.

Ou seja, nem sempre esse código que foi criado vai ser espalhado para muitos sistemas e computadores. Ele pode ter um destino específico, sendo utilizado apenas uma vez. 

Saiba como o malware funciona

Ele tem uma ação bem discreta. Para se ter uma ideia, você acaba baixando esse código sem perceber, instalando-o em seu dispositivo em questão de segundos. E a ação costuma ser disfarçada. Ou seja, você recebe um link falso, que contém o malware, e clica imaginando que é algo real. 

Esse endereço pode chegar por inúmeros canais como e-mails falsos, sites construídos especificamente para este fim e mensagens em grupos, por exemplo.

Além disso, muitos invasores inserem o código em pacotes de softwares ou aplicativos. Dessa forma, quando você faz o download a partir de fontes que não são confiáveis, o malware vem junto e infecta a máquina em questão de segundos.

Por isso, é muito importante baixar esse tipo de material diretamente das lojas oficiais, pois existem diversos tipos de ameaças por aí rodando a internet. Quer saber quais são? Explicamos a seguir.

Conheça os tipos mais comuns de malware

Vírus

É um código que foi criado para alterar o funcionamento de celulares, computadores e tablets. Recebeu este nome justamente por ter uma capacidade de disseminar o problema com bastante agilidade.

São capazes de modificar a configuração dos dispositivos e, em muitos casos, conceder o controle dos aparelhos a criminosos, que fazem o roubo dos dados.

Worm

Em português, a palavra quer dizer “verme” ou “minhoca”. Diferencia-se do vírus porque não precisa de um programa hospedeiro

Ele se propaga pela internet e chega até o computador por meio de uma falha de segurança, que pode ser tanto do sistema operacional quanto de algum aplicativo.
 

Cavalo de Troia

Outra variante muito conhecida é o Cavalo de Troia, que exige que a vítima faça uma ação para que seja instalado. Então, ele invade o dispositivo quando se abre um anexo de e-mail infectado ou por meio de um download de um programa falso.

Aliás, quase sempre isso acontece graças a uma técnica conhecida como phishing: a criação de sites falsos imitando sites verídicos. O usuário abre o site falso acreditando ser um programa inofensivo, com alguma utilidade para o computador.

Ilustração de uma lupa focando em um inseto numa tela de computador

Backdoor

O Backdoor (“portas dos fundos”, em português) permite que o hacker comande o computador de forma remota e execute ações muito nocivas

Em suma: o download de outros malwares, o envio de dados do usuário e spams, além de ataques de negação de serviço, a chamada denial of service

O nome vem do método de entrada do malware no computador, que é a exploração de uma brecha na segurança – a porta dos fundos.

Adware

Um dos tipos de malware muito comum que tem como característica exibir vários anúncios indesejados. Em alguns casos, o adware faz o navegador abrir sites com anúncios.

Downloaders

Os downloaders (“baixadores”, em português) são muito específicos: têm a função de instalar outros malwares, a serviço dos invasores.

Spyware

Pode ser traduzido como “software espião”, o spyware é um dos tipos mais perigosos. Ele recolhe informações do computador, como os sites visitados pelo usuário, e os envia aos criminosos. Além disso, seu principal objetivo é o roubo de senhas.

Uma das versões mais utilizadas é o Keylogger, que captura senhas a partir do que é digitado pelo usuário. Há também a versão Screenlogger, capaz de identificar movimentos ao redor do mouse, favorecendo o roubo de senhas dos teclados virtuais. 

Em síntese, são muito perigosos e podem causar grandes prejuízos.

Imagem à meia-luz de uma pessoa digitando números de um cartão de crédito no notebook

Ransomware

É um tipo de malware que restringe o acesso do usuário ao seu computador ou a arquivos, até que seja pago um “resgate”. Isso mesmo: os invasores dominam dados importantes e cobram uma quantia para liberá-los.

Também pode ser utilizado pelos hackers para formar botnets – redes de computadores infectados.

Como se proteger de um malware

Você deve estar se perguntando: como evitar que seu computador seja infectado por um ou mais desses tantos malwares?

Em primeiro lugar, com senhas poderosas. Quanto maior e mais complexa sua combinação, mais difícil é para o código entrar em seu computador, celular ou tablet. Use um grande número de caracteres – 12 ou mais.

Além disso, faça uma mistura de algarismos, letras maiúsculas, minúsculas e caracteres especiais. Uma boa sequência não pode ser óbvia. Seja criativo, invente sua versão.

Outra barreira importante é o uso de antivírus e antimalware, duas soluções essenciais para ter segurança ao navegar no celular ou no computador. Essas ferramentas são capazes de blindar seus gadgets, identificando previamente quando algum site ou link representa riscos.

Vivo Guru

Como usar antivírus e antimalware

A Nina da Hora, cientista da computação, traz dicas imperdíveis sobre a importância de proteger o seu celular enquanto navega na internet. Siga o passo a passo e veja quantas vezes quiser.

Leia também