Uma pergunta que muitas pessoas fazem é: como saber se o meu celular foi hackeado? A verdade é que se por hackeado você quer dizer alguém acessando o seu celular e vendo tudo que você faz, sem que você perceba,saiba que não é tão simples isso acontecer.

Para algo assim rolar, o próprio usuário precisa dar essa permissão ou já ter um software pré-instalado no smartphone, o que não é comum.

Geralmente, o que acontece são ataques de malware, que são vírus que infectam o celular porque o usuário clicou em um link falso ou digitou as informações em algum lugar onde não devia, por exemplo.

Esses ataques são comuns principalmente nos smartphones Android e costumam deixar o celular lento, instalar apps que você não permitiu e causar outros problemas.

Mas, se você ainda está com essa dúvida e quer saber se o seu celular foi hackeado, então continue a leitura. Vamos te explicar isso e dar dicas de como proteger seu aparelho de ataques de cibercriminosos. Vamos lá?

Imagem de perigo malware

O que é um malware?

O malware é um software malicioso desenvolvido por criminosos que pode ser enviado a usuários de internet por e-mail, sites, download de apps, trocas de mensagem etc.

Para o celular, o maior risco são aqueles vírus que acessam os seus arquivos pessoais como fotos, blocos de notas e mensagens, por exemplo.

Quer saber mais sobre o malware? Então, clique nessa matéria especial que fizemos e saiba tudo sobre esse tipo de ciberataque.

Como saber se meu celular foi hackeado?

Existem alguns indícios de que um celular foi hackeado ou infectado por um malware. Alguns dos pontos mais comuns são:

  • Bateria acabando muito rápido: se a bateria do seu celular ainda está saudável, mas ela está acabando muito rápido, pode ser que o smartphone tenha sido hackeado. Isso porque o vírus pode estar rodando um software em segundo plano para pegar os seus dados;
  • Aplicativos desconhecidos: de repente começam a aparecer aplicativos que você nunca instalou. Este pode ser outro indicativo de que seu celular foi infectado por um vírus;
  • Anúncios estranhos: se você estiver mexendo no celular e a sua experiência for interrompida por um anúncio, como na tela inicial ou em um aplicativo que não conta normalmente com anúncios, também pode ser um indício de que algo está errado;
  • Mensagens desconhecidas: mais comum nos golpes de WhatsApp, os criminosos usam a conta do usuário para pedir dinheiro e se passam por ele, só que as informações bancárias são de outra pessoa;
  • Aquecimento além do normal: também ligado à bateria acabar muito rápido, se o seu celular está aquecendo demais e não tem a ver com o carregador dele, pode ser que o smartphone esteja rodando, através de um vírus, um software em segundo plano sem você saber.
Imagem de hacker usando celular

Como me proteger de um ataque hacker?

Agora que você conhece os indícios de como saber se o celular foi hackeado, entenda o que fazer para se proteger de um ataque desses.

Antes de tudo: cuidado com o que você faz na internet. Em sites, não acredite nem em fórmulas milagrosas, nem em promoções extremamente baratas.

Nas mensagens de texto com amigos, desconfie de pessoas que peçam seu código de verificação do WhatsApp, de outros aplicativos ou mandem links suspeitos.

De maneira geral, nunca baixe um arquivo desconhecido no seu celular, como séries e filmes piratas, assim como aqueles e-mails que dizem ter em anexo fotos de uma festa ou até mesmo imagens que possam ser um ataque à sua pessoa.

O que acontece é que o arquivo até pode ser verdadeiro, uma foto, um vídeo ou outros, mas o problema é o que o acompanha. É aí que os cibercriminosos podem invadir o celular.

Não baixe também aplicativos que não sejam das lojas oficiais como App Store, Google Play Store ou Vivo App Store.

Também não vá atrás de soluções milagrosas em aplicativos, como ganhar dinheiro fácil, WhatsApp alternativo, cores diferentes para rede social e outras funções que não existem.

Na dúvida, desconfie. Pergunte para um amigo, familiar ou conhecido sobre algo antes de baixar ou clicar. É melhor prevenir do que remediar.

Imagem de celular hackeado

Fui hackeado. O que fazer?

Calma, que tem solução.

Por isso, se percebeu alguns dos indícios apresentados acima, você pode:

  • Apagar os aplicativos que não conhece: faça uma varredura na lista de apps e remova todos aqueles que você não lembra de ter baixado, geralmente isso também resolve a questão de anúncios indesejados;
  • Mudar as suas senhas: troque as suas senhas por códigos fortes. De preferência, use autenticação em dois fatores, que precisa de outro aplicativo para mostrar um código de seis dígitos que muda a cada 30 segundos;
  • Restaurar o celular: na dúvida, restaure o celular para os padrões de fábrica. Nos ajustes do smartphone, procure a opção “Redefinir”. Mas antes, faça o backup dos seus arquivos e fotos;
  • Usar um e-mail diferente para o seu ID do Google ou da Apple: como o e-mail é superimportante para dar permissões no celular, escolha um que você não use para receber promoções e outras mensagens que podem ser consideradas spam. Essa é uma maneira de proteger os seus dados.
Imagem de notebook hackeado

Outras maneiras de se proteger contra ciberataques

Cuidado nunca é demais, por isso é importante entender como saber se o celular foi hackeado. Além disso, assim como a gente não espalha nosso endereço de casa para qualquer pessoa, não compartilha senha de banco e nem sai de casa deixando a porta aberta, o mesmo vale para os cuidados com o smartphone.

Não compartilhe senhas, não clique em links que pareçam suspeitos e tenha também todo cuidado com conexões Wi-Fi não seguras.

Por exemplo, geralmente as redes Wi-Fi públicas são uma mão na roda para economizar o 4G, mas se você não tem certeza de que a rede é de quem diz ser (seja ela na casa de um conhecido ou uma gratuita dos pontos de ônibus ou estações de metrô), não se conecte.

Em uma rede aberta, os dispositivos se comunicam com o serviço de internet. Caso não haja segurança nessa troca de dados, é simples para cibercriminosos interceptarem informações como senha do aplicativo do banco, invadir o seu aparelho e roubar outros dados.

Uma maneira de se proteger também é evitar espalhar muitas informações sobre você online. Todo mundo adora postar nas redes sociais, mas escolha com sabedoria o que vai deixar público.

Opte por deixar o local de trabalho, cidade de residência e conexões privados, para apenas as pessoas da sua rede poderem ver.

Com isso, você cuida da sua segurança e evita que sites e pessoas tracem um perfil seu online.

Outra coisa muito simples, mas que as pessoas não costumam fazer é desligar as sessões que não estão em uso.

Por exemplo, sabe todos aqueles aplicativos que pedem permissão do Facebook para logar? Veja quais deles você realmente quer continuar compartilhando as informações.

Às vezes tem jogos e apps que são “febre do momento” que pedem várias informações, mas depois todo mundo esquece deles e eles podem ser alvos de ataques hacker.

Com isso, suas informações podem ser facilmente acessadas. Ao encerrar sessões, seja de aplicativos que podem acessar Facebook, Twitter etc., você se protege muito mais.

E aí, gostou de entender como saber se o seu celular foi hackeado? Quer saber mais sobre a sua segurança digital? Então, veja o conteúdo que preparamos com 10 dicas sobre segurança da informação.

Viu como cuidar do seu bem-estar digital é importante? Assim você evita malwares e também que pessoas indesejadas acessem as suas informações pessoais.

Até breve!

Leia também