Você sabe o que é NFT? Esta é a sigla para non-fungible token — ou token não-fungível. Essa tecnologia existe desde 2012, mas é o hype do momento no mundo dos criptoativos, com a expectativa de revolucionar a negociação de itens exclusivos, como obras de arte digitais.

Apenas traduzir a expressão não ajuda muito a entender o conceito dessas transações, não é? De maneira bem simples, o NFT é a tecnologia que identifica um arquivo como único (já que a palavra “fungível” significa “substituível”) — e, quando algo é raro no mundo, você já sabe o que acontece, certo? O item torna-se valioso.

Os tokens não-fungíveis trazem muitas vantagens para artistas e demais profissionais que desenvolvem trabalhos autorais, pois dão autenticidade às peças, que podem ser comercializadas pela internet com mais facilidade e livres das falsificações. 

Para quem compra, NFTs podem ser promissores, visto que há possibilidade de os arquivos valorizarem no futuro.

Ainda meio confuso com tudo isso? Então, continue por aqui que a gente descomplica e esclarece o que é NFT e como comprar os ativos. Boa leitura!

Imagem das letras NFT com dólar, computador e gráficos. Imagem das letras NFT com dólar, computador e gráficos.

O que é NFT?

NFT é a sigla para non-fungible token, ou token não-fungível. “Token” é um dispositivo eletrônico que armazena um certificado digital, e “não-fungível” é a qualidade de algo não-substituível, ou seja, que é único no mundo. Em outras palavras, NFT é um selo de autenticidade.

Fica mais fácil compreender o conceito quando a gente exemplifica as coisas, certo? Digamos que você tenha uma nota de R$ 100 na carteira, mas queira trocar por notas menores. 

Com duas de R$ 50, você ainda tem o mesmo valor em mãos, concorda? Muito bem, dinheiro é um item fungível, que pode ser substituído por outros itens, sem detrimento de seu valor.

Agora, pense na Mona Lisa. Essa mesma, a do Leonardo da Vinci. Ela é única no mundo (devido às suas especificações individuais) independentemente de quantas cópias tenham sido feitas, seja como pintura ou fotografia, e isso faz dela uma raridade. 

Se tal obra pudesse ser comercializada e você quisesse adquiri-la, ia querer ter certeza de que estaria levando para casa o quadro original, não é mesmo?

Ok, tudo certo até aqui. Agora, imagine isso no mundo virtual, em que as obras e as transações são digitais. 

O NFT entra nesse esquema como uma certificação ou um selo que garante que o arquivo que você comprou pela internet é original, e mais: que você é o dono do item. 

Portanto, o NFT atribui valor monetário a um item de valor inestimável para a sociedade — ou, pelo menos, para uma porção dela. Por isso, é um negócio promissor para investidores e colecionadores.

Imagem de pessoas falando no celular acompanhando em uma sala a tela de informações de criptomoedas. Imagem de pessoas falando no celular acompanhando em uma sala a tela de informações de criptomoedas.

Qual a diferença entre token fungível e não-fungível?

A diferença é bem simples! O fungível se trata de algo que pode ser substituído por outra coisa igual. Exemplo: uma nota de R$ 10. Se você a gastar ou perder, encontrará outra disponível.

O não-fungível é justamente o contrário. Ou seja, é algo que não pode ser substituído, como obras de arte, troféus, fotografias e por aí vai. Por isso, os NFTs são considerados tokens não-fungíveis.

Para que NFT é usado?

É mais comum usá-lo para compra de obras de arte, mas não se restringe a isso. Diversos autores de conteúdos ou jogos eletrônicos, por exemplo, têm criado certificados NFT para comercializar suas produções.

Cada um se torna único, o que agrega valor às obras. Por isso, vem ganhando mercado e conquistado cada vez mais adeptos no Brasil e no mundo.

Como funciona o NFT?

Lembra que dissemos que a tecnologia NFT surgiu em 2012? É paralela à criação das criptomoedas, como o Bitcoin e o Ethereum, que utilizam a blockchain para gerar os tokens.

Calma, o NFT não é uma criptomoeda, mas os tokens não-fungíveis são gerados virtualmente e protegidos digitalmente pela dinâmica de funcionamento da blockchain e de seus algoritmos. 

Assim, o registro não pode ser alterado, pois o consenso inerente à tecnologia blockchain garante a autenticidade dos tokens criados.

Isto é, mesmo que você possa reproduzir infinitas vezes a obra digital (copiando e colando um meme, por exemplo), você não pode afirmar que o arquivo lhe pertence. 

Da mesma forma, a Mona Lisa estampada na parede da sua sala jamais será a Gioconda de Leonardo da Vinci, ainda que impressa em alta resolução.

O NFT funciona como um código de informações exclusivas geradas pela tecnologia blockchain e que guardam as transações realizadas sobre o token.

Imagem de uma mão com o celular na tela do Marketplace. Imagem de uma mão com o celular na tela do Marketplace.

Quanto vale um NFT?

Esta pergunta é complexa, mas a resposta é bem simples: NFTs têm valor indefinido. Isso é fácil de compreender, porque eles dizem respeito a arquivos autorais, cujas características intrínsecas os fazem únicos e, portanto, não podem ser trocados, como acontece com outros criptoativos, a exemplo do Ethereum e do Bitcoin.

Uma vez que o valor das coisas é algo relativo (o que é valioso para você pode não ser para os outros), qualquer criação pode valer milhões — desde que outras pessoas concordem com isso, claro. 

De maneira geral, é um mercado bastante vantajoso e promissor para artistas, colecionadores e investidores que acreditam que eles tendem a valorizar daqui para frente.

Por outro lado, o conceito também tem críticos, que dizem que a tecnologia não passa de especulação financeira e que é só uma questão de tempo para o mercado não ver mais valor nesse ativo. 

De qualquer forma, hoje eles conferem status aos compradores, entre outras coisas, já que pesquisar uma obra de arte na internet, apreciá-la e colocá-la como papel de parede do celular não te faz proprietário dela, certo?

Imagem de uma pessoa apontando um círculo com letras NFT em meio a uma plataforma digital 3D. Imagem de uma pessoa apontando um círculo com letras NFT em meio a uma plataforma digital 3D.

Quais são os tokens NFT?

As primeiras aplicações foram no setor de jogos, além de artes e de objetos colecionáveis. 

Afinal, todo o universo artístico, que envolve a propriedade intelectual da obra digital, passa a ter o valor assegurado em um registro imutável na blockchain.

Atualmente, diversos setores da indústria estão desenvolvendo tokens não-fungíveis atrelados ao mundo digital. 

Embora o conceito seja especialmente interessante para quem trabalha com criatividade, vale destacar que a tecnologia representa virtualmente qualquer mercadoria, tanto itens reais quanto intangíveis, como: 

  • Trabalhos artísticos;
  • Memes;
  • Música;
  • Áudios;
  • Peças virtuais de jogos de videogames (skins, armas, moedas digitais, avatares etc.);
  • Colecionáveis (cards digitais, por exemplo);
  • Vídeos de momentos icônicos de esportes;
  • Ativos reais tokenizados (tênis, roupas, imóveis, carros etc.).
Imagem das letras NFT  token em meio a uma plataforma digital. Imagem das letras NFT  token em meio a uma plataforma digital.

Como comprar NFT?

A essa altura, você deve ter percebido um grande potencial rentável na negociação de ativos digitais exclusivos e já quer saber como incluí-lo nas suas finanças pessoais, não é mesmo? 

Comprar um NFT é igual a comprar qualquer outra coisa na internet: você navega pelo site da loja ou pelo marketplace, escolhe o item e efetua o pagamento. A diferença é que, na plataforma dessa tecnologia, você paga com criptomoedas.

Portanto, se você quer entrar nesse mundo digital, é preciso ter uma carteira virtual para guardar e efetivar as transações dos seus ativos. 

Depois, é só escolher uma plataforma para negociá-los, por exemplo:

Onde guardar NFT?

As transações de compra e venda dessa tecnologia são guardadas na sua carteira digital. 

Afinal, se você comprar o NFT da obra digital de um artista, não receberá um pôster impresso na sua casa, e sim um arquivo com a obra e o selo de autenticidade — e esse ativo digital deve ser encaminhado à sua conta.

Ficar de olho na evolução dessa tendência é uma boa ideia para quem deseja lucrar ou proteger as suas produções.

No entanto, é preciso ter uma carteira virtual para comprar, vender e guardar NFTs. 

E aí, gostou de saber o que é NFT? Então, não esqueça: conte com a Vivo para organizar as suas finanças e salvar os seus ativos. 

Até a próxima!

Leia mais: