Comprar uma casa, trocar de carro ou fazer aquela grande viagem são apenas alguns dos planos que nós temos ao longo da vida. E para realizar não apenas esses, mas muitos outros sonhos tem uma coisa que é imprescindível: saber como juntar dinheiro.

Para quem já tem certa prática, sabe que as chaves nesse planejamento são ter organização na vida financeira e muito foco. Embora essa não seja uma missão fácil, a notícia boa é que existem hábitos simples que podem ser adicionados ao cotidiano para lhe ajudar.

Quer saber quais são? Então nos acompanhe neste artigo e aproveite as indicações! 

Vaso com planta de dinheiro sendo regada por moedinhas Vaso com planta de dinheiro sendo regada por moedinhas

Como juntar dinheiro?

Sem dúvidas, o primeiro passo é organizar a vida financeira. Entender onde estão os principais gastos, bem como definir o que é ou não essencial, é a base para economizar dinheiro. Podem ser utilizadas diversas formas de controle: 

  • Planilhas;

  • Aplicativos;

  • Caderno de anotações.

Lembre-se que o importante é entender para onde está indo a quantia que entra todo mês para, a partir daí, fazer ajustes. 

Mas, além disso, há bons hábitos que podem e devem ser colocados em prática no seu plano de como juntar dinheiro. Confira:

1. Crie metas de curto, médio e longo prazo

Nada impulsiona mais um planejamento de juntar um montante do que metas definidas. E a verdade é que tudo pode se transformar em um objetivo: da compra de uma roupa nova até a de uma viagem internacional

Lembrando que a meta é um pouco diferente de um sonho: ela deve ser específica e ter uma data definida. 

Então, ao invés de colocar no papel “quero viajar para um país da Europa algum dia”, a meta é “ir para Portugal em janeiro de 2023”. 

2. Cultive o hábito de poupar

Mais importante do que guardar uma grande quantia de vez em quando, é cultivar o hábito de juntar dinheiro todo mês. 

Mesmo que o orçamento mensal seja restrito, o recomendado é estabelecer um valor mínimo e respeitar isso como se fosse uma conta, como o aluguel. 

Uma dica para ajudar nos primeiros meses é configurar um depósito automático desse valor em um investimento ou na poupança. Dessa forma, no momento em que entrar dinheiro na conta, essa parcela já fica reservada.

3. Tenha uma reserva de emergência

O que mais atrapalha a organização financeira são os imprevistos. Entre os exemplos mais comuns, estão:

  • Acidentes;

  • Problemas com saúde;

  • Manutenção de casa e carro.

Apesar de não sabermos quando eles vão acontecer, é fato que algo pode sair do planejado a qualquer momento. 

No entanto, é possível se preparar para isso! É o que chamamos de reserva de emergência: um dinheiro resguardado para momentos emergenciais.

Também é preciso juntar dinheiro para compor essa reserva e a quantia indicada varia. Em geral, especialistas em finanças pessoais recomendam que essas economias representem, no mínimo, seis meses do custo de vida atual.

Mulher sentada no sofá com seu marido analisando a conta bancária no notebook. Mulher sentada no sofá com seu marido analisando a conta bancária no notebook.

4. Busque renda extra

Às vezes, por melhor que seja o planejamento, a conta não fecha. Quando isso acontece, uma sugestão é buscar outras fontes de renda. Um bom exemplo é a venda de itens que não estão sendo usados, como:

  • Eletrodomésticos;

  • Eletrônicos;

  • Roupas e sapatos. 

Existem diversos sites e plataformas que facilitam e trazem segurança a essas vendas.

Outra alternativa é apostar nas suas habilidades, seja em artes manuais, como artesanato e culinária, ou dando aulas particulares.

5. Quite as dívidas

Se você está endividado, esse é um dos principais problemas a resolver antes de juntar dinheiro. E isso muitas vezes depende da “arte da negociação”.

A princípio, vale lembrar que algumas empresas estão abertas para negociar o valor ou as condições de pagamento, como um desconto para quitação à vista. 

Existem até eventos como o Feirão Limpa Nome, do Serasa, que ajudam com a intermediação.

Ademais, em certos casos, a antecipação de parcelas pode amortizar juros, diminuindo o valor final gasto. 

Também é possível recorrer a uma portabilidade da dívida, caso você encontre um financiamento com condições melhores.

6. Evite taxas extras e multas

Entre as contas pagas mensalmente, existem diversas que cobram pequenas taxas caso sejam pagas com atraso. 

Olhando apenas para o mês, isso pode parecer um valor insignificante, mas a realidade é que, em um ano, isso representa muitos reais perdidos. 

Uma boa ideia que acaba sendo esquecida por quem quer juntar dinheiro é contar com o débito automático

Aliás, outro motivo pelo qual vale ficar de olho no vencimento é que alguns serviços oferecem desconto no pagamento com antecedência. 

Mulher sorridente fazendo pesquisas de compras no notebook. Mulher sorridente fazendo pesquisas de compras no notebook.

7. Pesquise e só depois compre

Certamente, o mundo do e-commerce trouxe esse hábito para muitas pessoas. O fato é que, quem pesquisa antes de comprar, seja online ou não, só tem a se beneficiar. 

É possível comparar preços, condições de pagamento e prazo de entrega.

Para itens mais duradouros, o ideal é pesquisar com antecedência, acompanhando as oscilações de valor e promoções.

8. Pague à vista

O cartão de crédito é uma ótima ferramenta, porém também facilita que se gaste mais dinheiro do que se tem. 

Então, se você está focando em como juntar dinheiro, uma dica valiosa é pagar à vista. Sobretudo, com essa forma de pagamento, é mais fácil conseguir descontos nos estabelecimentos comerciais. 

9. Peça desconto

Não há nada de errado em pedir desconto antes de finalizar uma compra. Afinal, como diz o ditado popular: “o não você já tem”. 

É nesse momento, inclusive, que os comerciantes tendem a indicar benefícios relacionados a alguma forma de pagamento, como Pix ou WhatsApp Pay.

É claro que essa prática está mais restrita a lojas físicas, uma vez que é preciso ter atendimento para negociar. Todavia, ainda é uma recomendação valiosa no plano de como juntar dinheiro. 

Mão segurando celular na tela de investimento e fazendo anotações para juntar dinheiro. Mão segurando celular na tela de investimento e fazendo anotações para juntar dinheiro.

10. Invista

A poupança é muito utilizada pelos brasileiros para juntar dinheiro. Entretanto, existem formas de investimento que oferecem um baixo risco, porém com maior rentabilidade. 

Em outras palavras, há diversas alternativas em renda fixa e variável que fazem esse dinheiro guardado trabalhar por você.

Entre as mais populares, podemos citar contas em bancos digitais que rendem 100% ou mais do CDI e o Tesouro Direto. Mas também há possibilidades mais inovadoras, como Fundos de Investimento ou até criptomoedas.

Contudo, antes de escolher um investimento, é importante entender mais sobre as opções e sobre seu próprio perfil de investidor. 

11. Fuja dos gatilhos

Sabe aquele e-mail com promoções que você recebe diariamente? Ou ainda aquela notificação que a sua loja favorita está com descontos? Esses são os gatilhos de consumo, ou seja, chamadas que incentivam a pessoa a fazer compras mesmo sem precisar. E, é claro que algo assim vai na contramão da jornada de juntar dinheiro. 

Então, o conselho é desabilitar as newsletters e mensagens desse tipo para diminuir a tentação de sair do planejamento.

12. Repense suas despesas

Algumas despesas são difíceis de reduzir, como a mensalidade da escola ou o condomínio do prédio. Porém, há outras que apenas com alguns ajustes podem melhorar, como é o caso das contas de eletricidade, água e gás. 

Banhos mais curtos e reutilização de água para lavar áreas externas são alguns exemplos de práticas sustentáveis que ajudam a reduzir o boleto no final do mês.

Da mesma forma, todo dia fazemos despesas desnecessárias, como pedir comida por delivery ou comer fora. Essas são atividades de entretenimento, porém, ao invés de simplesmente retirá-las, é possível estabelecer limites de gasto e frequência. Assim, o cenário é positivo para a diversão e para a economia também!

Mulher morena analisando do extra bancário com as porcentagens dos gastos. Mulher morena analisando do extra bancário com as porcentagens dos gastos.

Qual é a porcentagem ideal de gastos mensais?

Para juntar uma boa quantia, não existe uma fórmula mágica, mas uma coisa é certa: é preciso gastar menos do que se ganha. 

Embora possa parecer uma coisa boba, a verdade é que mais da metade dos brasileiros fazem quase o inverso. 

Uma pesquisa divulgada no Estadão mostrou que 55% dos trabalhadores gastam tudo ou mais do que recebem. E, como resultado, as famílias ficam endividadas. 

Existem vários métodos de planejamento financeiro para melhorar a estimativa de quanto gastar, de acordo com a renda familiar. Geralmente, a porcentagem ideal de gastos mensais é de:

  • 50% a 55% com essenciais, como aluguel, alimentação e transporte;

  • 10% a 20% com supérfluos, como bens de consumo, entretenimento, viagens etc.

Quanto devo guardar, por mês, do meu salário?

Assim como a porcentagem de gastos mensais depende da renda familiar, o valor a ser guardado também varia. Inclusive, para aqueles que estão no plano de juntar dinheiro com um propósito, é aqui que as metas vão chegando mais próximas da realidade.

Segundo especialistas de finanças, o recomendado é separar entre 20% e 30% de toda a renda para o futuro. Sendo que esse montante deve ser distribuído para:

  • Criar uma reserva de emergência na poupança ou em um investimento de baixo risco, como Tesouro Direto;

  • Completar metas traçadas;

  • Diversificar carteira de investimentos.

Como a Vivo pode ajudar?

A tecnologia também tem seu papel no plano de como juntar dinheiro. Como mostramos, aplicativo e plataformas ajudam a acompanhar os gastos, lembrar do vencimento de contas e até comparar preços antes de comprar.

Por exemplo, pelo app Vivo Pay, é possível pagar contas, recarregar o celular e até realizar transações bancárias. Além disso, a solução de pagamento dá bônus em dados de internet por ações realizadas no aplicativo.

Apesar de todas essas recomendações, nós também sabemos que, às vezes, ainda será necessária aquela ajudinha extra para fechar as contas no final do mês. 

É aí que entra o Vivo Money, um serviço de empréstimo pessoal com taxas a partir de 1.49% a.m e fácil de usar. Basta simular a proposta, enviar documentos para análise de crédito pessoal e o dinheiro é liberado na conta em até dois dias úteis.

Pronto para juntar dinheiro e mudar sua vida financeira?

Enfim, economizar, fazer renda extra e pedir desconto não são só formas de juntar dinheiro, mas também representam formas de realizar seus sonhos. 

Lembrando que guardar dinheiro é um hábito que deve ser reforçado todo mês. Então, é necessário estabelecer a quantia que deve ser reservada e mantê-la durante o ano todo. 

E, se sobrar um pouco mais, também vale a pena investir para alcançar as metas ainda mais rápido!

Agora que você já conhece todas essas dicas de como juntar dinheiro, é hora de colocar o plano em ação. 

Boa sorte e até a próxima!

Leia também: