A tecnologia 5G promete uma grande revolução e um mundo mais tecnológico. Para entender o que vai mudar e como afetará a vida das pessoas, é preciso olhar para o passado e ver a evolução das gerações de telefonia móvel ao longo dos anos e, assim, entender como funcionará a velocidade 5G

A quinta geração de telefonia móvel é uma realidade que está mais próxima do que imaginamos. O 5G no Brasil vai potencializar a forma como as pessoas se conectam, mas também trará muitas oportunidades para as empresas. 

Além disso, essa nova conexão promete maior velocidade na palma da sua mão e mesmo quem não optar por um smartphone compatível se beneficiará com a tecnologia. 

Para compreender na prática como a velocidade 5G funciona, é preciso entender brevemente a evolução dos dispositivos móveis no decorrer do tempo. Vamos lá?

Mão de um home segurando um bipe, também conhecido como pager Mão de um home segurando um bipe, também conhecido como pager

Quais os primeiros dispositivos?

Para compreender melhor a dimensão e os benefícios do 5G no Brasil e no mundo, é importante reconhecer o primeiro dispositivo eletrônico que surgiu antes dos celulares: o pager, ou também conhecido no país como bipe.

O bipe fez sucesso em todo o mundo nas décadas de 1980 e 1990, e era utilizado apenas como um receptor de mensagens. Pela primeira vez na história, era possível se comunicar através de um aparelho que não ficava preso em casa, como era o telefone, na época.

Para enviar uma mensagem no bipe de outra pessoa, era preciso ligar do aparelho fixo para uma central de telefonia. 

A atendente redigia as informações em até 128 caracteres (64 para quem tinha um modelo de pager mais simples), a mensagem era enviada para uma rede de antenas de rádio e, assim, fazia a comunicação com o pager do destinatário.

Para responder, era preciso telefonar de um telefone fixo para a central de telefonia e, assim, enviar uma nova mensagem ao pager da pessoa. Ou, então, ligar diretamente para o telefone do destinatário.

Dessa forma, com o avanço da tecnologia, surgiram os primeiros celulares, que revolucionaram a forma de comunicação. 

Agora era possível se comunicar por voz, através de um dispositivo móvel. Vamos compreender como aconteceu essa transformação com o passar das décadas.

Celulares antigos dos anos 1990 e início anos 2000 empilhados Celulares antigos dos anos 1990 e início anos 2000 empilhados

O que é a tecnologia 1G (anos 1980s)?

Por volta dos anos 1980 apareceu a tecnologia analógica de voz. Conhecido como AMPS (Analog Mobile Phone System), o 1G surgiu exclusivamente para a comunicação por voz em um sistema totalmente analógico.

Não existia chip de operadora, o número era atrelado ao aparelho, que não tinha uma bateria muito eficiente.

Nesse período, as pessoas enviavam e recebiam mensagens de voz em seus aparelhos móveis. Entretanto, não existia segurança nas transmissões via 1G, ou seja, dava para interceptar facilmente uma chamada. 

Além disso, o serviço de roaming também não existia, então não era possível utilizar o serviço fora da sua região.

O que é a tecnologia 2G (anos 1990s)?

Já nos anos 1990, conhecemos a tecnologia 2G, a segunda geração de telefonia móvel, que permitia o envio e recebimento de mensagens de voz e SMS. Nessa fase começa a surgir a conexão por dados.

No Brasil, houve praticamente três fases da implementação do 2G: 

  1. GSM (Global System for Mobile Communications);
  2. GPRS (General Packet Radio Service);
  3. EDGE (Enhanced Data rates for GSM Evolution). 

A primeira fase foi marcada pela chegada do SMS (Short Message Service — envio e recebimento de mensagens curtas). Na segunda fase era possível enviar pacotes de dados. E, na terceira fase, surge o avanço na taxa de transmissão. 

E o que significa tudo isso? A segunda geração de telefonia móvel permitiu, pela primeira vez, o envio e recebimento de SMS, pelo qual também surgiram os primeiros chips (SIM Card). 

Desse modo, era possível acessar algumas informações bancárias, e a maioria dos aparelhos disponibilizavam o jogo da Serpente, também conhecido como o jogo da Cobrinha, que foi um sucesso no país.

Jogo da serpente de um celular antigo Jogo da serpente de um celular antigo

Outro destaque na tecnologia 2G era que havia mais segurança nas transmissões em relação ao 1G.

O que é a tecnologia 3G (anos 2000s)?

Já a terceira geração de telefonia móvel, o 3G, foi marcada por trazer mais banda larga e velocidade nas transmissões. O envio e recebimento de dados agora era muito mais eficiente do que as gerações passadas, e o acesso à internet também era possível.

Ao longo das melhorias da tecnologia 3G, o destaque aconteceu pela diminuição dos delays (lentidão) no recebimento e envio de dados. 

Pode não parecer tanto, mas pela primeira vez — podemos destacar como grande marco — havia a possibilidade de realizar uma chamada de vídeo pelo celular. 

Além disso, foi possível assistir programas de TV com o aparelho móvel em suas mãos e acessar a rede mundial de computadores: a internet.

Mulher segurando um celular com uma mão e na tela aparece escrito 4G Mulher segurando um celular com uma mão e na tela aparece escrito 4G

O que é a tecnologia 4G (2010)?

A quarta geração também é chamada de LTE (Long Term Evolution) e trouxe mais uma grande revolução na conectividade. A rede foi criada para o transporte de pacotes de dados e, pela primeira vez, as operadoras dividiam a mesma antena para oferecer seus serviços.

Ao longo das suas fases, o 4G foi evoluindo e novos produtos digitais começaram a surgir. A tecnologia permitiu o surgimento de vários aplicativos com os mais variados serviços, sendo assim, o 4G abriu espaço para os streamings

O que é tecnologia 5G (a revolução)?

A quinta geração de telefonia móvel promete uma nova revolução, muito mais significativa na conectividade. Dessa vez, atrelada à Internet das Coisas (IoT) e à conexão massiva de máquinas (M2M). 

Sem focar muito nos termos técnicos, sua capacidade chega para tornar realidade e potencializar os serviços de:

  • Casa conectada;
  • Carro inteligente;
  • Indústria inteligente;
  • Automatização do agronegócio;
  • Cidade inteligente;
  • Impulsionar tecnologias de Realidade Aumentada e Realidade Virtual;
  • Drones autônomos.

Portanto, quem quiser acompanhar de perto essa transformação vai precisar adquirir um aparelho compatível com a nova rede. 

Por outro lado, vale frisar que mesmo quem não comprar um device que comporte essa tecnologia também será beneficiado, já que haverá a abertura de diversas aplicações de uso no mercado. Muitos serviços que utilizamos no dia a dia e novos produtos vão surgir usando como base o 5G.

10 exemplos para entender como funciona e o que muda com o 5G

Ilustração de casa inteligente e ícones representando os usos do 5G em carro, lâmpada, câmera etc. Ilustração de casa inteligente e ícones representando os usos do 5G em carro, lâmpada, câmera etc.
  1. Com o 5G será possível acessar jogos de Realidade Virtual sem depender do Wi-Fi;
  2. Tudo o que você faz hoje que depende do Wi-Fi será possível acessar com o 5G de qualquer lugar;
  3. Baixa latência em jogos, entre 5 ms e 20 ms. Hoje com o 4G, dependendo da região, chega até 70 ms;
  4. Todos os seus dispositivos móveis e acessórios inteligentes estarão conectados com alta velocidade, 24 horas por dia;
  5. Você pode fazer os downloads de vídeos preferidos de 1GB a partir de 10 segundos na rede 5G;
  6. As antenas que carregarão uma unidade 5G potencializam o 4G, ou seja, mesmo se você não adquirir um aparelho 5G, sua conexão 4G ficará ainda melhor;
  7. Surgimento de carros autônomos. Como o tempo de resposta na transmissão de dados é muito rápido, os veículos autônomos são apenas um exemplo do que teremos em uma cidade inteligente;
  8. Telemedicina mais acessível. Cirurgias poderão ser realizadas de forma remota;
  9. Automatização mais robusta nas indústrias. A velocidade e a quantidade de dados trocados entre máquinas será muito maior, elas se conectarão de forma rápida e eficiente;
  10. De acordo com o edital desenvolvido pela Anatel, 27 capitais brasileiras deverão expandir a rede 5G até julho deste ano. Cidades com mais de 30 mil habitantes terão a conexão até 2028.

Conclusão

Cada geração de telefonia móvel foi marcada pelas necessidades de cada período e continuaram crescendo em busca da evolução de suas tecnologias. 

O 1G trouxe, pela primeira vez, a possibilidade da conexão por voz, enquanto o 2G possibilitou o envio e recebimento de mensagens de texto, o 3G foi marcado pelo acesso à internet e o 4G acrescenta os vídeos. 

A velocidade 5G caminha para uma nova revolução significativa com a Internet das Coisas e promete trazer produtos e serviços de modo a melhorar a conectividade e principalmente a vida das pessoas. 

A Vivo segue rumo ao 5G a fim de potencializar sua missão, que é digitalizar para aproximar. Saiba mais sobre as iniciativas da Vivo com o 5G no Brasil.

Até a próxima!

LEIA MAIS: