Heavy player ou não, você já deve ter se questionado sobre qual é a melhor forma de aproveitar o imenso catálogo de jogos que existe por aí. Isto é, através da nova geração de consoles, montando um PC gamer ou adquirindo uma máquina pronta.

Portanto, resolvemos fazer este artigo que explora não somente as vantagens de jogar no PC, como também o que deve ser levado em consideração na hora de adquirir ou montar um computador gamer.

Imagem de homem usando componentes do pc

Devo montar um PC gamer?

Há sempre alguém para dizer: “por que você não monta a sua própria máquina?”.

De fato, essa é uma pergunta importante e, por vezes, faz com que o investimento saia mais barato, além de garantir especificações melhores. Isso porque você consegue ir aprimorando-a conforme o tempo.

No entanto, a tarefa demandará tempo de pesquisa e o mínimo de conhecimento técnico da sua parte. Isso porque você precisará pesquisar sobre tópicos como os que falaremos a seguir.

CPU Gamer ou processador

O processador pode ser considerado o cérebro do PC. Ademais, existem duas medições de desempenho que você deve pesquisar e levar em consideração:

  • O número de núcleos;
  • A velocidade do clock.

A primeira medição corresponde a quantas tarefas o processador consegue executar de forma simultânea, enquanto a segunda refere-se à velocidade com que essas tarefas são executadas.

Placa-mãe

O processador ou CPU se encaixa diretamente à placa-mãe. Assim, na hora de adquirir uma, é importante verificar se a placa de circuito, responsável por conectar tudo, é compatível. No entanto, como eu consigo essa informação?

“Existem alguns sites e ferramentas que podem te ajudar a saber se suas peças serão compatíveis, como o PC Part Picker e o ChooseMyPC, que deixam você “montar” seu PC e dão dicas”, afirma o site Promobit.

No que se refere à placa-mãe, “escolha uma que seja suficientemente grande para conectar-se ao hardware atual e futuro, afinal, todos os componentes precisam conectar-se a ela”, sugere o site da Intel.

Imagem de mulher jogando no pc gamer

Memória RAM

A RAM, medida em GB, também conhecida como hardware, é a memória de curto prazo do seu PC. Esta é mais difícil de calcular o quanto você realmente precisa. Isso porque, se você tiver muito, não servirá para nada; mas, se tiver pouco, pode prejudicar o desempenho do PC. Confuso, não é mesmo?

Todavia, como estamos falando de jogos, então não precisa ser tão confuso assim. A lógica é a seguinte: escolha uma peça entre 8 GB a 16 GB de RAM e que a placa-mãe e o processador possam suportar.

Armazenamento: SSD ou HD

Existem dois tipos de armazenamento disponíveis, o popular HD e o relativamente novo SSD; ambos são medidos em gigabytes (GB) ou terabytes (TB). A diferença está no modo como operam e no tempo que estão no mercado.

Enquanto o SSD, também conhecido como unidade de estado sólido, utiliza memória flash para armazenar dados, o que o torna mais rápido e menos vulnerável a falhas mecânicas, o HD ou HDD (Hard Disk Drive) é composto por platters (pratos, em tradução livre).

Esses “pratos” utilizam material magnético para armazenar dados, gravar e posteriormente fazer a leitura de dados, devido às cabeças de leitura eletromagnéticas. Isto é, em comparação ao SDD, ele é mais lento, menos durável, mas possui maior capacidade de armazenamento — o que torna-o extremamente importante quando utilizado, por exemplo, como fonte secundária.

À vista disso, tratando-se de PC gamer, a dica é não escolher apenas um. Ou seja, conforme a dica da Intel, “muitas pessoas usam uma SSD pequena como unidade de inicialização e completam o restante de seus compartimentos com HDs mais econômicos para obter o máximo de capacidade de armazenamento”.

Placa de vídeo (GPU)

Há dois tipos de GPU: integrado e dedicado. No entanto, como estamos falando de um PC gamer, é importante que você opte por um GPU dedicado, grande e potente que irá se conectar à placa-mãe. O integrado conecta-se à CPU e a performance pode deixar a desejar.

No entanto, as placas de vídeo costumam ser muito caras. Por esse motivo, se você não conseguir enquadrar o que deseja no seu orçamento, opte pela geração anterior.

Por fim, lembre-se: a placa de vídeo não é o único hardware que afeta o FPS. Ou seja, é importante que você equilibre a configuração da máquina que está montando. Para tanto, siga a dica citada acima e utilize sites como PC Part Picker ou ChooseMyPC. Caso contrário, você enfrentará problemas de desempenho.

Unidade de Fonte de Alimentação (PSU)

A PSU nada mais é do que a fonte de energia do computador e pode ser obtida em três modelos:

  • Não modulares: possuem os cabos fixados e costumam ser mais baratas;
  • Semimodulares: vêm com diversos cabos essenciais e são mais baratas que as modulares;
  • Modulares: costumam ser as mais caras e têm cabos destacáveis, ou seja, você conecta na fonte apenas os cabos que for usar.

Resfriamento da CPU

Há dois tipos de resfriamento para você escolher: o que funciona a ar e o líquido. O resfriamento a ar costuma ser mais barato e de fácil instalação, no entanto, depende do ar que circula dentro do gabinete. O líquido, por sua vez, depende menos do fluxo de ar, mas são mais caros e difíceis de instalar.

Periféricos

Teclados, mouses e a conexão de internet para jogar online também fazem parte da construção de um PC gamer.

Sabendo disso, considere incluir os periféricos no orçamento. Pesquise o monitor de sua preferência, bem como o mouse com o DPI ideal, um teclado ergonômico e uma cadeira confortável. Ah, não se esqueça do headset gamer.

Imagem de home jogando no pc gamer

Sistema operacional

Você também precisará escolher um sistema operacional, ou seja, um software para hospedar os programas que você instalar. O mais comum é o Windows 10, da Microsoft, que, inclusive, possui grande compatibilidade com a maioria dos jogos disponíveis nas lojas. No entanto, há outros como os anteriores ao Windows 10 e Linux.

Pronto! Agora é só montar o computador. E, caso você precise de ajuda, lojas online como Pichau e TerabyteShop se colocam à disposição para fazer isso por você — é claro, se você comprar as peças deles.

Devo comprar um PC gamer?

A lista acima assustou você? Não se sinta culpado(a) e adquira uma máquina pronta — você não será menos gamer por isso.

Ademais, o benefício da compra é o mesmo para qualquer outro produto: você recebe suporte de, no mínimo, um ano, caso tenha problemas no futuro e não perde tempo pesquisando por hardwares e montando o PC gamer.

Porém, antes de comprar, leia atentamente os tópicos acima. Dessa forma, você chegará na loja, seja ela online ou física, com o mínimo de conhecimento e saberá por qual caminho seguir.

Por fim, reflita sobre o orçamento que você possui e qual é o seu gênero de jogo favorito.

Motivos para jogar em um PC gamer

Em meados dos anos 2000, o acesso à internet explodiu e, com ela, a tecnologia de processadores (placa de vídeo ou CPU) para computadores melhorou rapidamente, resultando em jogos com gráficos impressionantes para a época.

Concomitantemente, segundo Riad Chikhani, em artigo para o The Crunch, “as lojas online mudaram totalmente a maneira como as pessoas compravam jogos, atualizavam softwares, se comunicavam e interagiam com outros jogadores”.

À vista disso, muitas pessoas passaram a considerar o computador como uma plataforma para aproveitar games. Diante disso, confira abaixo cinco benefícios de jogar no PC.

Imagem de teclado gamer

1. Liberdade para melhorar performance

Em primeiro lugar, no PC você possui liberdade de alterar as configurações gráficas dos jogos, como resolução e frame rate — também referido como frames per second (FPS). Ou seja, o mesmo jogo que roda a 30 FPS no console, passa a rodar em 60 FPS no PC.

Além disso, no computador, você pode jogar com uma alta taxa de atualização (refresh rate), entre 120 Hz e 240 Hz, e garantir um gameplay de aparência muito mais suave e fluida. No entanto, é importante lembrar que ambos estejam sincronizados (FPS e Hz) para evitar defeitos visuais, como screen tearing (tela rasgada, em tradução livre).

2. Acesso a patches não oficiais

O segundo benefício está relacionado com os patches não oficiais; quiçá uma novidade para quem sempre jogou em consoles.

Em outras palavras, as correções de jogos que, ao invés de serem realizadas pelos publishers, como Activision Blizzard, Electronic Arts (EA), Ubisoft, Square Enix, entre outras, são feitas pela comunidade.

Com a expertise necessária, é claro, os fãs acabam “remendando” — na tradução literal da palavra patching —  o jogo por conta própria. Afinal, quem possui tempo para esperá-lo?

Isso aconteceu com Nier: Automata, desenvolvido pela PlatinumGames, com Final Fantasy XIII, desenvolvido e publicado pela Square Enix, e continuará ocorrendo.

Portanto, caso você decida jogar através de um PC gamer, mas determinado título que você gosta esteja apresentando problemas, saiba que não precisará esperar pelo publisher para aproveitar o jogo em sua performance total. Alguém da comunidade certamente irá ajudá-lo(a).

3. Biblioteca de jogos indie

O terceiro benefício é sobre o “lado B” da indústria de games. O catálogo de jogos indie, por vezes referidos como jogos independentes, é maior para PC que para consoles.

À vista disso, ao montar ou adquirir um PC gamer, você possui a chance de adquirir uma rica biblioteca virtual com títulos como Cuphead, Katana Zero, Hollow Knight: Silksong e Carrion, vencedor do The Game Awards 2020 como Melhor Jogo Independente.

Ilustração de videogame

Afinal, jogos indies possuem várias qualidades. Para ressaltar algumas, além de serem muito bem polidos, costumam ser mais baratos que os jogos classificados como Triple-A ou AAA. Em outras palavras, títulos de grandes grupos de desenvolvimento e publicação.

Por esse motivo, ou seja, por não estarem vinculados a grandes produtoras, os jogos independentes também costumam entregar um conteúdo extremamente divertido. De certa forma, é como se desse para perceber a liberdade criativa na hora da construção da narrativa e desenvolvimento do software.

4. Jogabilidade expandida

Ao adquirir um PC gamer para jogar, você possui a chance de ampliar o seu arsenal de periféricos. Isto é, você não precisa ficar restrito apenas a determinados tipos de controles, como o DualSense do PS5 ou Robo White do Xbox Series S.

Leia Mais:

 

Em jogos FPS (first-person shooter), por exemplo, você pode utilizar teclado e mouse (com DPI entre 400 e 800 para movimentos mais precisos), além de outros acessórios que melhorarão o seu desempenho.

E, no caso de jogos de corrida, você pode investir em um simulador com volante e pedal, como o PXNV3II PC Racing Wheel, disponível na Loja da Vivo.

5. Títulos mais baratos

Por último, mas não menos importante, jogando no PC, você consegue pagar menos pelos jogos do seu interesse, através de lojas como Steam, Epic Games Store e Discord.

Inclusive, a loja da Epic Games é conhecida por fazer grandes promoções e distribuir jogos de forma gratuita, enquanto a Steam possui um arsenal absurdo de títulos por preços bem acessíveis.

Leia Mais:

Diante disso, apesar de muitas pessoas acharem que investir em um PC gamer pesa muito mais no bolso, na ponta do lápis ou, melhor, a médio e longo prazo, o console acaba se tornando mais caro devido aos valores dos jogos, principalmente os que são classificados como Triple-A.

E aí, gostou das nossas dicas? Agora você já pode decidir entre comprar ou montar seu PC gamer.

Bons jogos!

Leia também: