Talvez você tenha uma vaga lembrança de como era o sinal de TV analógica e o grande avanço que tivemos quando começou a televisão a cabo, oferecendo uma variedade de canais. Já em 2007, teve início a transmissão pela TV digital, e um tempo depois pudemos desfrutar do streaming. E se dissermos que o digital ficará no passado com a TV 3.0?

Estamos falando de uma nova geração de transmissão para as emissoras de televisão aberta, que deve se tornar realidade a partir de 2024. Interessante, né? Mas, a partir disso, surgem várias dúvidas: o que, de fato, vai mudar para o telespectador? É preciso adquirir um televisor mais tecnológico para desfrutar de toda essa inovação?

Fique com a gente para ter as respostas para essas e outras questões a respeito da TV 3.0 e de tudo que ela pode proporcionar. Vamos lá?

Mulher sentada no sofá com uma xícara na mão e o controle da TV na outra Mulher sentada no sofá com uma xícara na mão e o controle da TV na outra

O que é TV 3.0?

É o novo sistema de transmissão de televisão aberta no Brasil que vem para substituir a digital ou TV 2.0, nosso modelo atual. Será um processo de transição lento e gradual, mas dá para adiantar que vem muita coisa boa por aí para o telespectador.

A TV 3.0 é um sinal que vai operar nas mesmas faixas de frequência do sistema atual. Porém, o objetivo é melhorar a experiência do público ao assistir à programação, com mais qualidade de som e imagem.

Além disso, haverá uma novidade, que será a integração da TV aberta com a internet e a possibilidade de segmentação geográfica e de preferências de conteúdo.

Quais as principais mudanças?

Que gostoso é se sentar no sofá e relaxar para assistir à televisão, concorda? Com a TV 3.0, você poderá ver as atrações dos canais abertos com um padrão superior de transmissão ao que tem hoje. 

Descubra abaixo as principais mudanças que essa tecnologia vai proporcionar:

Melhor imagem e som

A primeira grande vantagem é entregar melhorias na imagem e som. O futuro do sinal de televisão terá imagens com suporte à resolução 4K (3.840 x 2.160 pixels) e 8K (8.192 x 8.192 pixels). Atualmente, o sinal digital tem resolução de imagem Full HD (1920 x 1080 pixels).

Além disso, o processamento da TV 3.0 será HDR, ou seja, você terá imagens de alta resolução, com mais brilho e cores mais vivas, visto que o sistema vai suportar um espaço ampliado de cores e terá uma precisão maior na reprodução de cada tonalidade. 

Em relação ao áudio, com o novo sistema de transmissão, você terá um som imersivo, denominado áudio 3D, como o que a gente encontra hoje nos serviços de streaming.

Família sentada no sofá assistindo TV enquanto come e bebe Família sentada no sofá assistindo TV enquanto come e bebe

Entretenimento imersivo

Com os novos recursos de imagem e áudio, você vai se sentir “dentro” dos conteúdos assistidos, assim como ocorre em algumas salas de cinema. 

Terá, portanto, uma nova experiência, com muito mais realismo, para aproveitar a programação oferecida pelas emissoras.

Além disso, você poderá conferir pela tela da televisão mais precisão na reprodução de cores e maior nitidez para aquelas cenas de ação ou partidas de futebol, em que os movimentos são rápidos. Logo, não é exagero falar que a televisão entrará em uma nova era no Brasil.

Investimento das emissoras

Com o novo modelo de transmissão, as emissoras precisarão investir na produção de atrações que atendam aos novos formatos de áudio e vídeo e na atualização de conteúdos para essas tecnologias.

As empresas também deverão desenvolver novos recursos para explorar a integração da televisão com a internet. 

Contudo, apesar dos custos que a nova tecnologia exige, as emissoras poderão entrar em novos mercados, desenvolvendo uma programação segundo a localização geográfica e perfil do telespectador. 

Dessa maneira, elas podem aumentar o engajamento com um público específico e ter ganhos maiores com publicidade devido à segmentação regional e possibilidade de anúncios personalizados.

TV digital e 5G

A gente falou bastante sobre a integração com a internet, e você deve estar se perguntando como isso vai funcionar na prática, certo? 

Bem, no menu da sua televisão, será possível navegar entre a programação da emissora, atrações ao vivo e o conteúdo que ela oferece via internet, e você fará isso utilizando aplicativos.

É só pensar no poder de escolha que temos ao utilizar as principais plataformas de streaming: isso também será possível com os canais abertos. Bacana, né?

E essa nova experiência só será de qualidade com a implantação do 5G, a nova geração da internet, que está em desenvolvimento no país. 

Ela permitirá uma conexão mais rápida e estável, o que vai impactar no uso do celular, melhorando a forma como nos conectamos, na possibilidade de contar com dispositivos mais inteligentes na sua casa e, é claro, na TV 3.0.

Quais as expectativas?

Além das melhorias da imagem e áudio para o conteúdo dos canais abertos, as expectativas estão na interação do telespectador com a integração com a internet. 

Sem contar a possibilidade das empresas de radiodifusão entregarem uma programação de acordo com a localização geográfica e interesses dos usuários. 

Em resumo, a nova geração de transmissão televisiva no país promete uma experiência de qualidade e personalizada para o público. E o melhor: tudo de forma gratuita, permitindo um acesso democrático a essa tecnologia.

Todavia, para ter acesso a todas essas inovações, o consumidor deverá adquirir um televisor que suporte os novos formatos de vídeo e áudio e que seja uma Smart TV para permitir a conexão com internet. 

Desse modo, deverá ter um Wi-Fi residencial de qualidade para aproveitar tudo o que essa tecnologia tem a oferecer.

Homem sentado no sofá assistindo TV e comendo salgadinhos com cara feliz Homem sentado no sofá assistindo TV e comendo salgadinhos com cara feliz

Quando a TV 3.0 chega ao Brasil?

A implantação e desenvolvimento da nova geração de TV no Brasil estão sendo realizados pelo Fórum do Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre (Fórum SBTVD), em parceria com o Ministério das Comunicações. 

Os primeiros testes com a TV 3.0 (em laboratório e em campo) tiveram início no Brasil em 2021 com a colaboração de universidades, a fim de definir as tecnologias candidatas para o novo padrão, com a avaliação do melhor sistema de codificação de vídeo, de áudio, entre outros aspectos.

Trata-se de um processo longo e gradual, pois serão realizados vários ajustes e análises complementares para a definição de todos os requisitos da nova tecnologia. 

Depois, esses resultados seguem para a homologação da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e, somente após essa etapa, é que passa pela aprovação final do Ministério das Comunicações.

Portanto, a previsão é que, em 2024, as primeiras casas estejam recebendo o sistema de TV 3.0. E, da mesma forma como foi a transição do modelo analógico para o digital (que ainda não foi concluída totalmente), essa não é uma mudança rápida, podendo durar alguns anos até que todos os municípios do país passem a contar com a inovação.

Se você é antenado com as novas tecnologias e adora assistir à programação televisiva, fique de olho na TV 3.0 e em todas as mudanças que ela vai trazer em relação às possibilidades de conteúdo distribuídos pelos canais abertos.

Para você se manter atualizado quanto às tendências e inovações tecnológicas, acompanhe as publicações do Vivo Explica.

Até mais!

Leia também: