O nome metaverso vem se tornando cada vez mais popular. Esse universo virtual ainda se encontra em desenvolvimento, mas já traz grandes promessas. 

Em primeiro lugar, esse novo mundo deve revolucionar a forma de usar a internet, de se comunicar com a família, amigos e até com empresas. 

Além disso, para o metaverso existir em todo seu potencial, ele também vai impulsionar uma série de outras tecnologias que são consideradas um tanto futuristas. 

Realidade aumentada, virtual e mista, e conectividades avançadas, como o 4G e o 5G, estão bastante ligadas ao novo conceito. Quer saber mais sobre o assunto? Nos acompanhe e boa leitura!

Pessoa utilizando o notbook na página de Metaverse. Pessoa utilizando o notbook na página de Metaverse.

O que é metaverso?

É um universo virtual. Nele, as pessoas irão interagir com outros usuários por meio de avatares 3D, podendo:

  • Emular o mundo real;

  • Ou complementar a realidade. 
     

Atividades tipicamente presenciais, como: 

  • Ir ao cinema;

  • Fazer uma compra na livraria;

  • Tomar um café com os amigos.
     

Serão comuns no metaverso.

Simplificando o conceito, pode-se dizer que o metaverso será uma nova maneira de navegar pela internet, com uma experiência imersiva em três dimensões ou projetada no mundo real. 

Onde estará o metaverso?

A aventura nesse ambiente digital deve ser acessível em diversos dispositivos. Porém, gadgets como óculos e fones de ouvido de Realidade Virtual serão essenciais para ter a melhor experiência. 

Mão em um ambiente digital acessando dispositivos no celular. Mão em um ambiente digital acessando dispositivos no celular.

O que é metaverso do Facebook?

O metaverso ainda está em desenvolvimento e quem lidera os esforços para que o projeto se concretize são as gigantes de tecnologia.

Nesse sentido, o Facebook foi um dos primeiros a retomar o conceito. Inclusive, deixou claro seu comprometimento com o universo virtual e até mudou o nome da empresa-mãe para Meta. 

De acordo com o Facebook, cerca de US$ 150 milhões serão investidos pela empresa e 10 mil profissionais serão contratados para a criação do ambiente virtual. 

Quando e onde surgiu?

O termo, que é altamente futurista, não poderia ter vindo de outro lugar senão da ficção científica. 

A primeira vez que o nome apareceu foi no livro de Neal Stephenson, Nevasca (do título original em inglês, Snow Crash), lançado em 1992. Na obra, o metaverso é uma forma das pessoas escaparem da realidade. 

Inclusive, ela é precursora de jogos digitais com a mesma premissa de avatares em mundos digitais, como:

  • Second Life;

  • The Sims;

  • World of Warcraft.

Conforme o relatório Kantar Ibope Media, atualmente, 6% dos usuários de internet afirmaram passar tempo em ambientes virtualizados como Second Life ou World of Warcraft.

ícone de duas pessoas no mundo digital de metaverso. ícone de duas pessoas no mundo digital de metaverso.

Como funciona o metaverso?

Esse universo virtual depende de alguns elementos:

  • Realidade Virtual (VR) e Aumentada (AR);

  • Redes Sociais;

  • Criptomoedas;

  • NFTs.

Realidade Virtual e Aumentada

A Goldman Sachs estima que até US$ 1,35 trilhão será investido no desenvolvimento de tecnologias imersivas, como VR e AR, nos próximos anos. 

VR

Tecnologia que cria um ambiente virtual imersivo, simulando os sentidos humanos, como visão, audição e tato. 

Já é bastante utilizada em setores, como o de saúde, na criação de protótipos e também no entretenimento, como em jogos virtuais.

AR

Utiliza o mundo real como base e adiciona elementos a essa realidade. Um dos exemplos mais famosos é do aplicativo Pokémon GO, no qual a câmera do celular posiciona o personagem do jogo no cenário real à sua frente. 

Homem utilizando óculos e possivelmente visualizando um cenário real à sua frente. Homem utilizando óculos e possivelmente visualizando um cenário real à sua frente.

Redes Sociais

Segundo o relatório Kantar Ibope Media, cerca de 74% da população checa as redes sociais todos os dias. Entre o público que já é usuário de ambientes virtualizados, essa taxa chega a 86%.

Conquistando cada vez mais pessoas, as redes sociais têm caráter aglutinador, essencial para o metaverso. Tanto é que a empresa do Facebook, agora chamada Meta, deverá focar nessa atuação. 

Criptomoedas e NFTs

Até 2030, o metaverso e os NFTs podem gerar até US$ 50 bilhões de receita no mercado de luxo.

Criptomoedas

São um tipo de moeda virtual que já é negociada hoje em dia, sendo uma das mais conhecidas a Bitcoin. Porém, já existem criptomoedas ligadas ao metaverso, como a Avalanche e a Solana.

NFT

Do termo em inglês “Non-fungible token”, os NFTs são um token utilizado para marcar direitos de propriedade digital. 

Atualmente, são bastante empregados na compra de arte virtual, mas no metaverso abrirão uma gama de possibilidades de negócios. Como exemplo, poderão funcionar como uma chave de ingresso e acesso no universo virtual.

Duas mulheres com óculos metaverso vivenciando uma experiência no mundo virtual. Duas mulheres com óculos metaverso vivenciando uma experiência no mundo virtual.

Como o metaverso vai impactar nosso cotidiano?

Com a criação de metaversos das mais diversas companhias, o objetivo é que, no futuro, as pessoas possam realmente viver no mundo virtual. 

Atividades cotidianas, como trabalhar, estudar, bem como a diversão poderão acontecer por meio desse universo. 

Barreiras geográficas serão quebradas e não só as pessoas, como também as marcas poderão interagir. 

Um exemplo próximo do que pode acontecer no metaverso foi dado por uma cervejaria brasileira. A empresa abriu um bar dentro do servidor do jogo GTA para promover um novo produto.

A realidade é que o metaverso ainda trará novas experiências que estão muito além da nossa imaginação.

Imagem de um bar da cerveja Brahma de esquina. Imagem de um bar da cerveja Brahma de esquina.

Desafios do metaverso

O conceito só irá realmente entrar em funcionamento como universo digital se as companhias que criarem os ambientes os fizerem compatíveis. 

Ou seja, caso a marca restrinja o acesso a itens feitos pelos concorrentes, o metaverso será fragmentado e não irá trazer a experiência ideal.

Quais as expectativas do metaverso para 2022?

Embora o Facebook seja um dos nomes mais associados ao assunto, outras empresas também estão se preparando para o futuro virtual. Com isso, muitas novidades devem chegar ao público em pouco tempo.

Microsoft

  • Recurso Mesh:  ambientes de trabalho em realidade virtual e aumentada para o Teams;

  • Lançamento de avatares 3D para o Teams;

  • Investimento em serviços de nuvem que suportem mundos virtuais.

Match Group

  • Planeja lançar experiências em seu aplicativo Tinder usando avatares 3D;

  • Criação da Tinder Coins, moeda virtual para movimentações no app.

Imagem de uma cubo de madeira escrito Meta Verse. Imagem de uma cubo de madeira escrito Meta Verse.

MetaHero

  • Protótipo de criação de modelos 3D para inserir objetivos e avatares dentro do universo digital.

Niantic

Apresentou recentemente o Lightship — um kit de desenvolvimento para criar ambientes de VR que incluem plataformas de metaverso. 

Pode mapear superfícies em tempo real e permitir interações com o ambiente em vários dispositivos de forma simultânea.

Qual a melhor internet para aproveitar o metaverso?

É claro que toda essa estrutura para construir o metaverso e também para aproveitá-lo depende de uma boa conectividade. 

Aliás, por conta não só dessa novidade, mas de muitas outras tecnologias que vem por aí, escolher o plano ideal de internet para a sua casa é crucial. De modo geral, a banda larga com fibra óptica tem sido uma das escolhas preferidas dos brasileiros.

Além de selecionar o melhor pacote para sua casa, considerando suas atividades diárias na internet, também é preciso atenção ao Wi-Fi. Há algumas dicas de como potencializar o sinal da sua rede sem fio, bem como de protegê-la.

Afinal, uma conexão de qualidade é o primeiro passo para uma boa experiência, seja para ver streamings, trabalhar ou estudar remotamente ou até mesmo para conhecer o famoso metaverso.

Até breve! 

LEIA MAIS: