Você já deve ter ouvido falar sobre o NFT ou “token não fungível”, que garante a propriedade sobre uma obra digital. Porém, sabia que é possível criar um NFT sem precisar de conhecimentos técnicos ou dispositivos específicos?

Embora pareça algo complicado, a verdade é que qualquer pessoa pode gerar esse token digital, seja pelo computador ou até usando o celular! São diversas as plataformas que tornam o processo mais acessível, permitindo que cada vez mais pessoas transformem suas artes em um objeto virtual único. 

Hoje, fotos, músicas, gifs ou até personagens de jogos já são usados para criar NFTs. Com isso, esses arquivos se tornam produtos de certa exclusividade que podem, inclusive, ser comercializados no mercado nacional e internacional.

Quer saber como criar NFT? Nos acompanhe neste artigo e fique por dentro dessa febre do mundo virtual. 

Como gerar um NFT?

Para começar, é bom lembrar o que são os NFTS: objetos digitais únicos que têm um proprietário. Esse direito da obra é garantido pela tecnologia de blockchain, que registra todas as transações do arquivo. 

Sendo assim, as artes digitais ou vídeos que viraram NFT pertencem a alguém que pode vendê-las, com direito a modificação ou não. 

De qualquer forma, tudo estará registrado, mantendo a segurança e protegendo o valor do arquivo.

Em suma, na missão de como criar um NFT há cinco passos:

  1. Selecionar a mídia;
  2. Escolher a plataforma;
  3. Criar uma wallet;
  4. Colocar fundos na wallet;
  5. Definir a rede de blockchain.

Então, para gerar um token não fungível, o primeiro passo é definir a mídia em que será utilizada e, nesse sentido, não há limites para a criatividade. Fotos, memes, gifs, vídeos, músicas e até obras de arte podem ser escolhidas.

Em seguida, é necessário selecionar uma plataforma para, de fato, criar o NFT. Aqui há diferentes opções, mas entre as mais conhecidas estão: 

  • OpenSea;
  • Mintable;
  • Binance;
  • Enjin;
  • Rarible.

Ao mesmo tempo, para acessar esses sites será exigida uma carteira digital de cripto ativos, também conhecida como wallet. Aliás, ela deverá até mesmo ter saldo para custear o processo, pois taxas de transação e manutenção da rede podem ser aplicadas. 

Para colocar dinheiro na wallet, existem algumas empresas que fazem a conversão de moedas oficiais, por exemplo, o real para criptomoedas. No Brasil, as principais são a Binance e a Coinbase.

Por fim, outro passo obrigatório é definir uma blockchain na qual o token será criado e, mais tarde, negociado. 

Atualmente, a rede mais utilizada é a Ethereum, mas outras opções incluem a Polygon e a Binance Smart Chain.

Mulher desenhando num tablet um NFT, ao fundo uma tela com vários NFTs desenhados Mulher desenhando num tablet um NFT, ao fundo uma tela com vários NFTs desenhados

Como transformar uma imagem em NFT?

Para facilitar o passo a passo de como criar um NFT, existem muitas plataformas que fazem essa transformação. Aqui em terras brasileiras, a atividade é chamada de cunhar ou “mintar”, que é quando o certificado NFT é criado e colocado na blockchain. 

Na prática, transformar uma imagem em NFT é simples: basta selecionar o arquivo, adicionar nome e descrição e dar upload

Mas antes de subir as artes individuais, é necessário criar uma coleção na plataforma escolhida, sendo que essa precisa ter nome, descrição, ícone e capa para diferenciação.

Vale dizer ainda que, neste cadastro, será preciso definir os termos de venda, o preço e a forma de comercialização, como leilão ou valor fixo.

Quanto custa para criar um NFT?

Apesar da novidade ter começado há pouco tempo, as transações de NFTs já alcançam valores altos e isso acaba chamando a atenção para o setor. Porém, um ponto de atenção antes de entrar de cabeça nesse negócio está nas taxas de transação. 

Atividades como criar um NFT, fazer sua transferência para diferentes wallets ou ainda comercializá-lo são operações que geram despesas. 

No mundo digital, essas taxas são conhecidas como gás e seu custo varia, por exemplo, de acordo com a plataforma escolhida.

Entre as redes mais populares estão a Ethereum e a BSC. E, se por um lado optar por elas significa mais chances de venda, por outro também representa um maior custo de gás. 

Para termos uma comparação, em uma rede menos popular, como a Polygon, os gastos ficariam em torno de um centavo de dólar ou menos por transação. 

Já na Ethereum, que é onde grande parte do público está, isso pode chegar a algumas centenas de dólares. 

Vale ainda ficar atento ao preço do gás na hora da transação, pois as taxas podem variar de custo de acordo com a movimentação do horário. 

Funciona de forma similar a uma cotação de dólar e, assim como nas transações da Bolsa de Valores, é interessante monitorar a melhor hora para comprar e vender. 

Mão segurando um celular e na tela um marketplace para vender NFT Mão segurando um celular e na tela um marketplace para vender NFT

Como criar um NFT de graça?

Se até aqui você já sabe como criar um NFT e está convencido a entrar no negócio, vem agora uma dica de ouro para iniciantes: é possível fazer isso de graça!

Um bom exemplo é o do OpenSea, que tem um suporte cross-blockchain com a Polygon, oferecendo um marketplace de NFT sem taxas ou “gas free”. 

Assim, é possível não apenas criar o NFT gratuitamente na plataforma, mas comercializá-lo sem adição de custos. 

Esse é um ótimo caminho para quem está começando a investir no mundo digital e quer aprender melhor a como atuar nele.

Como gerar um NFT de graça no celular?

Nos smartphones, assim como para diversas outras atividades, são os aplicativos que guiam o usuário em como criar um NFT. Esses apps ajudam de ponta a ponta: desde a edição de imagens para a arte final até a mintar as NFTs

Alguns exemplos populares são:

  • Sketcher;
  • NFT Go;
  • Pixl;
  • NFT Creator;
  • GoArt. 

Vale a pena testar as opções gratuitas antes de assinar com um dos apps. Também é importante conferir as especificidades de cada um, como, por exemplo, se há link direto com marketplaces e quais são eles. 

Onde vender meu NFT?

Assim como para o comércio eletrônico, existem marketplaces para vender e comprar NFTs do mundo todo. 

OpenSea, SuperRare e Mintable são bons exemplos de mercados populares do token não fungível. 

Porém, todos esses são executados na rede da Ethereum, que geralmente têm taxas de transação mais elevadas. Há ainda uma opção brasileira, o NFTrend, que permite a criação e comercialização de NFTs.

Existem também as alternativas focadas para o mercado gamer, afinal os jogos NFT estão em ascensão! Aqui podemos citar Tofu NFT, Fractal e a Binance, que possuem coleções voltadas a esse universo.

Enfim, explorar os marketplaces é uma boa ideia para quem está procurando o mercado ideal. Assim, você consegue entender quais os principais focos de venda e o público-alvo de cada plataforma.

Preparado para entrar no mundo dos NFTs?

Em conclusão, para montar uma estratégia certeira de como criar um NFT e comercializá-lo com sucesso é preciso fazer uma imersão digital. Quanto mais você conhecer esse universo, mais fácil é para navegar dentro dele. 

Ao mesmo tempo, são diversas as ferramentas à disposição que facilitam a entrada nesse mercado e, como vimos, há até formas de fazer isso gratuitamente. 

E a melhor parte é que esse mercado ainda tem muito a se desenvolver. Seja na indústria gamer, no metaverso ou no entretenimento, o NFT será uma moeda valiosa para o futuro.

Por isso, vale a pena começar a explorar as oportunidades o quanto antes e quem sabe até transformar dinheiro virtual em real. 

Boa sorte e até logo!

Leia também: