Apesar de não ser um conceito tão novo quanto parece, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre o que é IoT e como esse conceito está cada vez mais integrado à nossa rotina e sociedade. 

Para desmistificar esse assunto e ajudar a compreender melhor como funciona a Internet das Coisas, criamos este artigo detalhado, com respostas para as principais dúvidas sobre o tema. 

Quer saber mais sobre essa tecnologia e como ela pode ser utilizada em sua rotina? Então, continue sua leitura!

Imagem de uma mulher usando um smartphone. Imagem de uma mulher usando um smartphone.

O que é IoT e como funciona?

Muitas pessoas se questionam sobre o que é IoT. Essa sigla se refere a grande variedade de dispositivos físicos que se comunicam entre si por meio da internet, com intuito de coletar informações e gerar mais autonomia. Assim, é possível criar e utilizar novas soluções tecnológicas para atender nossas demandas.

O termo vem do inglês “Internet of Things” — ou Internet das Coisas, em português — e tem se tornado uma solução cada vez mais importante e utilizada nos últimos anos. A possibilidade de poder conectar e ter o controle de seus principais dispositivos na palma da mão — pelo smartphone, por exemplo —, gera mais praticidade no dia a dia dos usuários.

Por ser um processo em que convertemos dispositivos em componentes inteligentes, é necessário utilizar uma ferramenta bastante conhecida por todos: a internet. Por meio dela é que os acessórios poderão “conversar” entre si e coletar as informações necessárias para otimizar seus processos. 

Para que possa haver essa interação, é necessário que todos os acessórios estejam conectados a uma rede, trocando informações o tempo todo. E isso pode ser feito por Wi-Fi, rede móvel (3G, 4G, 5G), rádio frequência (RFID) e até mesmo por Bluetooth.

Imagem da sala de uma casa. Sobre a foto, ícones de música e segurança. Imagem da sala de uma casa. Sobre a foto, ícones de música e segurança.

Qual a função da IoT?

A função da IoT é:

  • Conectar os objetos, para que eles possam transmitir e coletar informações;
  • Executar comandos dados pelo usuário;
  • Criar uma rotina para que as tarefas sejam executadas automaticamente. 

Além de gerar mais praticidade, essa comunicação possibilita uma constante evolução das ferramentas, devido à troca constante de dados.

Mas o que seriam essas “coisas”?

Fazem parte da IoT quaisquer dispositivos inanimados que contem com a facilidade de se conectar à internet. E isso pode ser desde uma lâmpada até carros e máquinas mais complexas. 

A previsão de especialistas é que, até 2025, tenhamos mais de 22 bilhões de dispositivos conectados (excluindo computadores, laptops, telefones e tablets).

 

Quais são as características da IoT?

Para identificar se algum objeto faz parte do conceito IoT, é necessário avaliar algumas características presentes nele. 

Sem as funcionalidades corretas, você não conseguirá conectar e controlar o dispositivo de maneira eficiente e nem promover sua interação com outros acessórios. 

Saiba a seguir, como fazer essa identificação:

Conectividade

Imagem de uma mulher usando um celular. Sobre a foto, ilustrações de wi-fi, segurança e cloud. Imagem de uma mulher usando um celular. Sobre a foto, ilustrações de wi-fi, segurança e cloud.

A conectividade é um dos principais atributos que um objeto deve ter para ser considerado inteligente. Sem isso, não será possível que ele se comunique com os outros dispositivos da rede e você não terá acesso a suas funcionalidades via internet. 

Hoje, diversos aparelhos contam com essa função, tornando possível essa interação e o controle de suas funções de maneira remota, inclusive se você estiver fora de casa. 

As soluções podem ser encontradas em sensores de portas e janelas, lâmpadas, geladeiras, televisores e diversos outros itens básicos do dia a dia.

 

Identidade

Para que você possa acessar um equipamento que tenha conectividade, é necessário que ele também possa ser identificável. Para isso, ele precisa ter um “nome de rede”, geralmente fornecido por um endereço IP. 

Por meio dele, você poderá identificar cada equipamento que está cadastrado na rede, além de conseguir acessá-lo diretamente de seu smartphone, computador ou tablet. Assim, você saberá exatamente qual dispositivo está controlando.

Interação

Os dispositivos, após conectados, devem conseguir se comunicar, não só com o aplicativo ou aparelho controlador — como o smartphone —, mas também com os outros equipamentos cadastrados na rede. 

Isso possibilita que eles troquem informações entre si, tornando possível realizar várias tarefas ao mesmo tempo, criar rotinas de funcionamento e até mesmo complementarem e aprimorarem as funcionalidades uns dos outros. 

Por exemplo: um sensor de aproximação que se comunica com uma lâmpada, fazendo-a acender cada vez que detectar alguma presença no ambiente.

Processamento

Para que a comunicação e controle sejam feitos de maneira efetiva, é necessário que os itens tenham poder de processamento. 

Só assim eles conseguirão entender e executar os comandos dados pelo usuário, sejam eles em tempo real ou quando programados para funcionar em determinados horários.

Esse processamento também auxilia na comunicação com os outros dispositivos, fazendo com que eles consigam trocar informações quando necessário, para que as rotinas possam acontecer da maneira que foram programadas.

Imagem de pai e filho ajustando dispositivos conectados da casa em um tablet. Imagem de pai e filho ajustando dispositivos conectados da casa em um tablet.

Quais os benefícios da IoT?

A IoT pode tanto ajudar nas operações de uma empresa — melhorando a produtividade, eficiência e segurança de todos os colaboradores — quanto representa uma solução em potencial para melhorar diversas áreas pessoais que acessamos no dia a dia, tais como:

Por exemplo: ao pegar um ônibus para chegar ao trabalho, você poderá utilizar a IoT para liberar o acesso ao veículo quando fizer a leitura do seu cartão de passagem no equipamento, que desconta sua passagem e aciona a catraca.

Dessa maneira, a IoT permite que as tarefas rotineiras sejam executadas de maneira mais rápida e, muita das vezes, com mais eficiência, devido ao uso de inteligência artificial instalada nos equipamentos. 

E, mesmo que as pessoas não percebam, essa tecnologia está sempre à nossa volta, nos auxiliando e oferecendo mais praticidade diariamente.

Imagem de uma pessoa controlando os dispositivos conectados de sua casa pelo tablet. Imagem de uma pessoa controlando os dispositivos conectados de sua casa pelo tablet.

Como a IoT pode ser aplicada em casa?

Já existem muitos aparelhos no mercado que podem controlar quase tudo por meio da IoT. Os homepods e assistentes domésticos, como Google Home e Alexa, são um dos mais conhecidos por quem mora em uma casa conectada. Eles têm capacidade de executar tarefas simples do cotidiano através de comandos de voz.

Entre as tarefas executadas, podemos citar: 

  • Previsão do tempo;
  • Configuração de alarmes;
  • Tocam playlist de músicas;
  • Fazem chamadas telefônicas;
  • Informam a situação do trânsito etc. 

Além deles, existem outros acessórios inteligentes capazes de promover mais praticidade no dia a dia, tais como:  

Para você ter uma casa conectada eficiente, o ideal é que se pense em um projeto que gere o máximo de praticidade e conforto para todos que vivem ali, independentemente da idade ou nível de conhecimento em tecnologia. 

Para isso, analise bem as necessidades de sua casa e busque pelos produtos que possam atender a sua demanda, permitindo que tudo seja controlado com poucos cliques, diretamente dos smartphones.

É importante, também, verificar a compatibilidade desses equipamentos com os programas ou interfaces controladoras. 

Por exemplo: se você for enviar os comandos pelo Google Home, o ideal é adquirir produtos que funcionem bem com esse aplicativo, para que você possa usufruir de todas as vantagens e autonomia que os dispositivos oferecem.

LEIA MAIS:

A importância de uma boa conexão

Para garantir um bom funcionamento dos dispositivos que fazem parte da IoT, é necessário contar com uma internet de qualidade. O ideal é que você tenha uma banda larga que proporcione o máximo de velocidade e estabilidade possível.

E os planos Vivo Fibra são perfeitos para conectar sua casa inteligente. A tecnologia fibra óptica entrega muito mais estabilidade em sua rede, devido à sua estrutura, que não sofre com interferências externas — como as ondas eletromagnéticas da rede elétrica ou os prejuízos por exposição ao tempo. 

Além disso, esse tipo de banda larga pode entregar maiores taxas de velocidade, de download e de upload, permitindo que você consiga utilizar diversos dispositivos ao mesmo tempo, como é no caso dos inúmeros itens que compõem uma casa conectada.

Os planos Vivo Fibra contam, atualmente, com várias configurações. Por isso, escolha o pacote que melhor atenda às suas necessidades. 

Agora que você já sabe o que é IoT e quais influências ela tem sobre nossa rotina, conseguiu se dar conta de como temos acesso a ela todos os dias? 

As soluções que essa tecnologia oferece conseguem tornar nossa vida muito mais prática, executando diversas tarefas simultaneamente e nos ajudando a nos organizar todos os dias. Então, bora transformar a sua casa? E lembrem-se, quando esse momento chegar, conte com a Vivo.  

Até mais!

Leia também