Ele já passou e ainda passa por muito preconceito, mas a verdade é que a qualidade das produções nacionais cresce a cada ano, valem cada minuto na frente da tela e ainda deixam um gostinho de quero mais. Dessa forma, a lista de melhores filmes brasileiros se torna maior e mais evidente não apenas por aqui, mas pelo mundo. 

Para que você possa ficar por dentro de nossas riquezas cinematográficas, preparamos um conteúdo especial, que apresenta algumas características das melhores produções brasileiras, suas histórias e a importância para a cultura do país. 

Além disso, vamos indicar alguns filmes que, com certeza, vão te surpreender positivamente. Quer saber mais? Então, continue com a gente!

Retroprojetor exibindo filmes e sobre rolos de filmes Retroprojetor exibindo filmes e sobre rolos de filmes

Quais são as principais características do cinema brasileiro?

Apesar do cinema nacional ainda estar abaixo de outros centros — como Hollywood —, as produções brasileiras já passaram por diversas transformações ao longo das décadas e vêm evoluindo cada vez mais. Prova disso são os títulos que chegaram até a concorrer ao Oscar em algumas edições.

E essa evolução se deve ao fato de diversas características que o cinema foi acumulando, desde sua descoberta até os dias de hoje: a adaptação aos orçamentos limitados, os cenários, as atuações etc.

Orçamento limitado

O principal fator que impede que a evolução seja mais rápida é o dinheiro. Por aqui, não se tem a mesma verba para realizar superproduções como nos Estados Unidos, por exemplo. 

Sendo assim, as produtoras têm que fazer um grande esforço para driblar essa adversidade e conseguir entregar um produto de qualidade para os consumidores.

Grandes atuações

Quanto menor o orçamento, mais o filme depende das atuações e direção. E nesse quesito, não ficamos devendo em nada aos outros países. 

Um exemplo dessa excelência são as teledramaturgias (as famosas novelas) que são produzidas aqui que, além de premiadas no exterior, são exportadas para diversos países.

Cenário

Outra característica que ajuda a criar ótimas produções é o cenário nacional. Por ser um país tropical, temos a sorte de contar com uma beleza natural incomparável em vários aspectos. 

Além disso, o Brasil tem proporções continentais e, devido ao seu tamanho, é possível aproveitar diversos biomas diferentes, que vão de belas praias a regiões montanhosas e florestas.

Retroprojeto de filmes Retroprojeto de filmes

Qual a importância do cinema nacional?

O cinema nacional é muito importante para ajudar tanto a desenvolver uma identidade e apresentá-la ao mundo quanto para levar ao próprio povo as culturas e costumes de outras regiões do país. 

Temos um território tão grande que a maioria das pessoas do Sul, por exemplo, não conhece as tradições ou modo de vida do Nordeste e vice-versa.

Fora isso, as produções ajudam a sociedade a desenvolver opiniões e críticas, refletir sobre diversas situações e pautas, além de carregar a representatividade de diversas culturas, histórias, etnias, gêneros e a responsabilidade de levar entretenimento ao maior número de pessoas possível.

Quando surgiu o cinema brasileiro?

Foi em 1896 que a sétima arte chegou ao Brasil, alguns meses após a demonstração pública de um cinematógrafo — criado pelos irmãos Lumière. No dia 5 de novembro do mesmo ano, aconteceu a primeira apresentação de cinema no país. A produção foi exibida na Rua do Ouvidor (Rio de Janeiro) e mostrava pequenas filmagens de cidades europeias.

A partir desse ponto, o cinema se popularizou no Brasil e, com a chegada mais frequente das filmadoras no país durante a década de 1890, as produções começaram a ser feitas em solo tupiniquim oficialmente, principalmente pelas mãos de Vittorio di Maio, Afonso Segreto e José Carlos Cunha Salles.

Casal feliz assistindo filme e comendo pipoca Casal feliz assistindo filme e comendo pipoca

Qual foi o primeiro filme do cinema brasileiro?

Sobre a primeira produção realizada aqui no país, há algumas controvérsias. Uma das versões considera como a pioneira do cinema nacional é uma filmagem chamada Chegada do trem em Petrópolis

A história conta que teria sido registrado uma gravação na estação de Petrópolis, que trazia o presidente Prudente de Moraes. Porém, a legitimidade da produção sempre foi contestada, com alegações de que ela teria sido gravada na Europa.

Já a versão mais aceita culturalmente é referente a uma gravação feita por Afonso Segreto, em 19 de junho de 1898. Segreto era o responsável por adquirir filmes europeus para um cinema do Rio de Janeiro e, em uma de suas viagens, trouxe uma filmadora. Ao chegar de navio, ele fez uma gravação chamada Uma vista da Baía de Guanabara.

Apesar de nenhuma cópia dessa versão ter sido encontrada - o que também gera contestação sobre sua veracidade -, dia 19 de junho, assim como 5 de novembro, ficou marcado como o Dia do Cinema Brasileiro , ou seja, a ocasião é duplamente comemorada.

Onde assistir os melhores filmes brasileiros?

Para assistir os melhores filmes nacionais, nada melhor do que contar com um plataforma que ofereça um catálogo extenso e variado, com conteúdos de qualidade e produções renomadas aqui e no mundo. E o Globoplay é referência quando o assunto é cinema.

Além de reunir os mais diferentes títulos em um só lugar, a plataforma de streaming dá acesso à produções originais e exclusivas, como: 

  • Novelas;
  • Séries;
  • Programas da TV aberta e fechada. 

Você pode assistir ao vivo ou rever quando quiser a programação dos canais Globo, tudo por um preço que cabe no seu bolso.

E a Vivo tem uma ótima parceria com o Globoplay, oferecendo a assinatura da plataforma no plano Vivo Selfie + Globoplay. Basta você contratar o pacote, baixar o app na Vivo App Store e maratonar suas séries e filmes nacionais preferidos. 

As outras vantagens dessa promoção, são:

  • Internet exclusiva para assistir o Globoplay + dados para fazer o que quiser;
  • Bônus para portabilidade;
  • WhatsApp ilimitado;
  • Ligações e SMS ilimitados para qualquer operadora do Brasil;
  • Internet e ligações grátis nas Américas todos os dias;
  • Acesso a diversos serviços digitais.

Quais os melhores filmes brasileiros?

Para te ajudar a maratonar os conteúdos do Globoplay, preparamos uma lista com os melhores filmes nacionais que são sucesso de crítica e arrecadaram prêmios importantes. Confira:

O Auto da Compadecida (2000)

Cena do filme o auto da compadecida Cena do filme o auto da compadecida

O filme conta a história de Chicó (Selton Mello) e João Grilo (Matheus Nachtergaele), dois sertanejos do interior da Paraíba que, diante das situações adversas e necessidade de sobrevivência, enganam os moradores do vilarejo com frequência. 

Porém, o cenário muda quando se deparam com a visita de Nossa Senhora Aparecida (Fernanda Montenegro).

A produção conta com diversas premiações, entre elas estão a de melhor filme, melhor roteiro, melhor diretor, melhor lançamento e melhor ator (Matheus), no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro.

Central do Brasil (1998)

Cena do filme central do brasil Cena do filme central do brasil

O filme dirigido por Walter Salles é um dos ícones do cinema nacional. A trama gira em torno de Dora (Fernanda Montenegro), uma escritora que escreve cartas para pessoas analfabetas na Estação Central do Brasil.

Sua vida tem uma reviravolta quando ela se depara com Josué (Vinícius de Oliveira), que tenta encontrar seu pai depois do falecimento da mãe. A escritora se junta a ele em uma viagem pelo Nordeste para ajudá-lo na busca.

A aclamação universal foi tão positiva que rendeu ao filme uma indicação ao Oscar e mais de 50 prêmios entre melhor filme, direção e melhor atriz (Fernanda). Entre os mais importantes estão o Globo de Ouro, o BAFTA e o Festival de Berlim.

Cidade de Deus (2002)

Cena do filme cidade de deus Cena do filme cidade de deus

Com direção de Fernando Meirelles, o filme conta a história de uma periferia que começou a ser construída na década de 1960, mas com o passar dos anos, acabou sofrendo com o crescimento do crime organizado, se tornando um dos pontos mais perigosos do Rio de Janeiro.

A trama é narrada por Buscapé (Alexandre Rodrigues), que tenta sobreviver nesse ambiente perigoso sem ser “fisgado” pelas tentações do mundo do crime, enquanto a história de diversos personagens se entrelaçam na favela.

O sucesso do filme rendeu quatro indicações ao Oscar, além de diversas premiações no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, como melhor filme, diretor, roteiro adaptado, fotografia, som e montagem.

Tropa de Elite 2: O Inimigo Agora é Outro (2010)

Cena do filme tropa de elite dois Cena do filme tropa de elite dois

Depois do sucesso que foi a primeira produção, Tropa de Elite 2 não demorou a cair nas graças do público. 

Com a direção de José Padilha, o filme conta a história do famoso Capitão Nascimento (Wagner Moura) que, depois de deixar o B.O.P.E para se tornar secretário de segurança do Rio de Janeiro, se depara com um inimigo muito mais poderoso: o poder paralelo e influência das milícias.

Em dezembro de 2010, a produção ganhou o posto de filme mais assistido na história do cinema nacional, atingindo 11 milhões de espectadores. Além disso, emplacou premiações de melhor filme, direção, roteiro, fotografia e melhor ator (Wagner).

Dona Flor e Seus Dois Maridos (1976)

Cena do filme dona flor e seus dois maridos Cena do filme dona flor e seus dois maridos

A adaptação cinematográfica do livro de Jorge Amado narra a história de Florípedes (Dona Flor, interpretada por Sônia Braga), que, após se tornar viúva precocemente de seu marido Valtinho (José Wilker), casa-se novamente com o pacato Dr. Teodoro (Mauro Mendonça). 

Porém, a saudade do amante falecido o traz de volta à tona em espírito, fazendo com que ela se veja em dúvida sobre o que fazer diante da situação.

A produção foi indicada ao Globo de Ouro e ao BAFTA, além de ter sido premiado no Festival de Gramado como melhor diretor e melhor trilha sonora. A trama fez tanto sucesso que foi regravada várias vezes.

Minha Mãe É uma Peça (2013, 2016 e 2019)

Cena do filme minha mãe é uma peça Cena do filme minha mãe é uma peça

A trilogia de comédia estrelada e escrita por Paulo Gustavo e dirigida por André Pellenz fez e ainda faz bastante sucesso no Brasil.

Na trama, Dona Hermínia (Paulo), precisa lidar com a adversidade da separação com seu marido Carlos Alberto (Henri Capri) — que se casou com uma mulher bem mais jovem —, enquanto procura dar a melhor criação para seus filhos adolescentes, Marcelina (Mariana Xavier) e Juliano (Rodrigo Pandolfo). 

Diante da descoberta de que eles a consideram chata, Hermínia resolve sair de casa sem dar satisfação, deixando todos preocupados. 

No filme seguinte, Dona Hermínia fica rica depois de passar a apresentar um programa de televisão, mas precisa lidar com a ausência dos filhos, que decidiram sair de casa. 

Para completar, seu filho mais velho, Garib (Bruno Bebianno), chega até sua casa com um neto, e sua irmã, Lúcia Helena (Patrycia Travassos), resolve passar uns dias com ela.

Já no último filme da sequência, Hermínia precisa digerir a ideia de que seu filho Juliano vai se casar e de que Marcelina está grávida. Para piorar a situação, seu ex-marido Carlos Alberto resolve se mudar para o apartamento ao lado do dela.

Se Eu Fosse Você (2006 e 2009)

Cena do filme se eu fosse você Cena do filme se eu fosse você

No primeiro filme, a comédia romântica dirigida por Daniel Filho conta a história do publicitário Cláudio (Tony Ramos) e da professora de música Helena (Glória Pires). Eles vivem um relacionamento que está na rotina, o que acaba gerando alguns desentendimentos.

Em um desses episódios, os dois começam a falar as mesmas palavras ao mesmo tempo, causando estranheza ao casal. Quando eles acordam no dia seguinte, descobrem que tiveram seus corpos trocados um com o outro e precisam achar uma solução para o problema.

Após tudo ter se resolvido no primeiro filme, na produção seguinte, Cláudio e Helena voltam a conviver com conflitos no casamento e decidem se divorciar. 

Ao tomarem essa decisão, novamente, o destino entra em cena e repete a troca de corpos. Porém, dessa vez, as coisas serão ainda mais complicadas, pois, além de terem que lidar com a situação, precisarão enfrentar a gravidez e casamento inesperados de sua filha Bia (Isabelle Drummond).

Que Horas Ela Volta? (2015)

Cena do filme que horas ela volta? Cena do filme que horas ela volta?

O drama escrito e dirigido por Anna Muylaert narra a história da empregada doméstica Val (Regina Casé), responsável por cuidar do seu filho Fabinho (Michel Joelsas), e os conflitos entre ela e seus patrões Bárbara (Karine Teles) e José Carlos (Lourenço Mutarelli).

Anos depois, em situação mais estável, Val se sente arrependida de ter abandonado sua filha Jéssica (Camila Márdila) aos cuidados do avô e busca por uma oportunidade de reaproximação. Porém, os conflitos entre elas e o temperamento difícil de Jéssica vão dificultar a criação desse laço. 

Além de receber diversas indicações, o filme é multipremiado, angariando prêmios importantes, como: melhor filme, direção e atriz (Regina Casé), entre outros.

O Homem que Copiava (2003)

Cena do filme o homem que copiava Cena do filme o homem que copiava

André (Lázaro Ramos) é um humilde operador de fotocopiadora de uma papelaria em Porto Alegre. Apaixonado por sua vizinha Sílvia (Leandra Leal), que trabalha como vendedora em uma loja de roupas, André sai em busca de R$ 38 para tentar uma aproximação, com o pretexto de que estaria comprando um presente para sua mãe.

Para alcançar seu objetivo, ele conta com a ajuda de Marinês (Luana Piovani) e Cardoso (Pedro Cardoso), um funcionário de uma oficina mecânica que planeja falsificar notas de R$ 50, na sua nova máquina colorida.

O filme conquistou prêmios importantes, como: melhor diretor, melhor filme, melhor ator e atriz coadjuvante (Pedro e Luana), além de melhor ator (Lázaro). 

Aquarius (2015)

Cena do filme aquarius Cena do filme aquarius

O filme franco-brasileiro Aquarius conta a história de Clara (Sônia Braga), uma jornalista viúva e aposentada, que resiste às investidas de uma grande construtora que deseja comprar o prédio onde ela morou a vida toda para construir um mais moderno. 

Diante das recusas, ela passa a ter que lidar com todo tipo de assédio e ameaças, na tentativa de fazer com que ela mude de ideia.

O sucesso do filme junto à crítica especializada rendeu inúmeras indicações importantes — como a Palma de Ouro no Festival de Cannes —, além de diversas premiações, como: melhor atriz (Sônia Braga), melhor roteiro, melhor direção, entre muitos outros.

E aí, gostou da nossa lista de melhores filmes brasileiros? Agora que você já conhece um pouco mais sobre a história do cinema nacional, basta fazer a assinatura do seu plano  Vivo Selfie + Globoplay ou contratar o Globoplay avulso no seu celular Vivo Móvel, anotar nossas indicações, preparar a pipoca e maratonar essas excelentes produções locais. 

Divirta-se e até breve!

LEIA MAIS: